Quem não gosta de trufas? Com aquele interior macio a derreter-se na boca.

É uma espécie de pecado consentido em que nós pecadores nos confessamos.

Estas trufas são menos calóricas do que as habituais e, além disso, são adequadas a várias intolerâncias alimentares.

Farinha de castanha? Pois é. Uma coisa dos nossos antepassados, antes de os romanos trazerem o trigo. O pão de castanha ou de bolota era o comum dos povos lusitanos, e agora que os romanos se foram, a castanha continua por cá.

Esta é a base. Depois com manteiga, chocolate, açúcar em pó e cacau ficamos com uma massa densa.

Querem ver como é perfeita para moldar?

Bom… ainda nem acabei e já estou a babar.

Mas aqui chegados ainda falta o efeito de trufa, o que se resolve rapidamente com um mergulho prolongado num cacau de boa qualidade.

Rola e rebola no cacau, como as crianças rebolam na areia.

Podíamos ficar já por aqui, mas há um remate final para as deixar ainda mais lindas. Açúcar em pó.

Et voilà!

São uma beleza, não são? E garanto-vos que sabem tão bem quanto parecem.

Verdade Paulo Varanda?

O Paulo é um colega fantástico e um guloso assumido que, durante vários anos era chamado de “Provador Oficial” das minhas receitas. Contou-me imensas vezes o quanto se divertia por ser abordado na rua, nos correios, nos restaurantes, nos supermercados com esse epíteto. Sempre foi muito mais. Um homem fantástico, com um coração enorme, um bom colega e amigo.

O que nos divertíamos nas provas, na redacção da SIC.

Estas trufas conquistaram o Paulo e vão certamente conquistar-vos.

Podem fazê-las com castanhas frescas. Encontram aqui o método para as cozerem no microondas. Ficam fantásticas. Rijinhas. Mesmo boas para depois as triturarmos.

Também podem ser feitas com castanha congelada, ou seja, podemos fazê-las durante todo o ano.

São perfeitas para qualquer ocasião, seja para um jantar de amigos ou para oferecer no Natal.

Experimentem fazê-las e digam-me o que acham.

Ah! E pelo caminho espreitem o Brownie de Castanha… outra perdição!