Já regressada de Londres, após 11 longos dias de cobertura televisiva das cerimónias fúnebres da Rainha Isabel II, partilho hoje convosco a receita que tinha previsto publicar precisamente na semana em que estive fora de Portugal.

Era a receita para a despedida do Verão e para celebrar o início do Outono, simples e muito deliciosa, que tanto serve como entrada como prato principal mais leve.

Os tomates-cereja e a burrata são as vedetas deste prato… e se é verdade que já aqui partilhei várias receitas com estes tomatinhos deliciosos, é a primeira vez que publico uma receita com burrata, que uso muitas vezes aqui em casa.

Já lá vai o tempo em que era difícil de encontrar e o preço, quando comprada em restaurantes, era mais proibitivo. Mas hoje em dia já está mais acessível e à venda em tantos locais, do Lidl ao Continente.

Qual a diferença entre Burrata e Mozzarella?

O fabrico de ambas começa com a coalhada de leite fresco que é esticada de modo a dar-lhes uma textura elástica. Mas a partir daí o processo difere.

Na mozzarella fresca,  a coalhada é levemente puxada e moldada em bolas e colocada num recipiente de soro de leite proveniente do processo de fabrico da coalhada.

na burrata, a coalhada é puxada da mesma maneira, mas em vez de formar uma bola, é esticada para uma bolsa onde restos rasgados de mozzarella e natas são selados no seu interior.

E a textura é diferente?

Sim! Enquanto que a mozzarella é macia mas elástica, a burrata é muito delicada e tem um interior cremoso que baba quando cortado.

Como nasceu a burrata?

A burrata começou a ser feita no início do século passado por Lorenzo Bianchino Chieppa.

O queijeiro italiano da região de Apúlia quis aproveitar as sobras do fabrico da mozzarella, juntando natas e criando assim uma bola com uma textura mais rica e cremosa que rapidamente conquistou o mercado local e, mais tarde, o mundo.

Não tendo uma utilização tão versátil como a mozzarella, que é usada tanto em saladas como em pizzas, a burrata tornou-se um verdadeiro produto gourmet nas mãos de grandes chefs.

O nome burrata deriva de burro, que significa manteiga em italiano.

Qual o melhor leite? De búfala ou de vaca?

Os especialistas defendem que tanto a burrata como a mozzarella feitas com leite de búfala são as melhores, e por isso ligeiramente mais caras, mas facilmente se encontram as versões feitas com leite de vaca, igualmente deliciosas.

O leite de búfala é mais rico, já que tem mais proteína, gordura, cálcio e lactose do que o de vaca.

Apesar de ser um produto italiano, a burrata – tal como a mozzarella – já é produzida noutros países e muitas vezes com uma mistura de ambos os leites.

Posso substituir a burrata por mozzarella?

Nesta receita sim, desde que o queijo seja colocado sobre os tomates quentes acabados de sair do forno, também a mozzarella vai amolecer e acamar bem. No entanto, a burrata é ainda assim a minha preferida.

Vamos ao essencial da receita?

Mais abaixo – depois do video – encontram as quantidades e a descrição completa. Mas para já, apenas em traços gerais.

Aqui temos os 11 ingredientes:

  • tomates-cereja – vermelhos ou de várias cores.
  • burrata – vem dentro de uma embalagem com líquido, que se descarta.
  • alho – dá um sabor incrível aos tomates.
  • tomilho – tanto na ida ao forno como na finalização, o tomilho liberta um aroma fantástico.
  • manjericão – complementa bem com o tomilho, mas é usado apenas na decoração final.
  • pesto – caseiro ou de compra. O pesto clássico de manjericão é o melhor para este prato.
  • pinhões tostados – ou outro fruto seco de que goste. Dá crocância. É opcional.
  • azeite – para verter sobre os tomates antes de irem para o forno.
  • sal e pimenta preta – nunca podem faltar.
  • pimenta rosa em grão – para mais um pouco de “calor” e de sabor. Faz a diferença.

Assar estes tomates faz destacar todo o seu sabor, sobretudo com estes temperos… e é assim que vão para o forno durante meia-hora até começarem a rebentar.

Só com isto, o aroma que fica no ar é I-N-C-R-Í-V-E-L!

Assim que saem do forno, abre-se a burrata ao meio – ou em quatro se for para servir como entrada para 4 pessoas – coloca-se sobre os tomates quentes, mais os últimos ingredientes e temperos e a burrata começa a amolecer com o calor.

Serve-se imediatamente com pão torrado… e pesto extra para quem quiser reforçar.

Tão simples e maravilhosamente delicioso! E que lindo ficou nesta travessa da V.A. que a minha mãe usou durante anos a fio, já com linhas gastas de tantas lavagens.

Qual o melhor acompanhamento?

Se quiserem fazer este prato mas necessitarem que seja mais robusto, como refeição principal, fica perfeito com massa, idealmente massa pequena como penne, fusili, conchas pequenas, etc.

Basta cozer a massa, colocar os tomates quentes por cima e finalizar da mesma forma com a burrata.

Partilhem experiências, comentem, deixem sugestões e se partilharem esta receita no Instagram não se esqueçam do hashtag #claradesousa_cozinha_bricolage

Outras receitas de que também podem gostar

FRANGO MOZZARELLA COM TOMATE-CEREJA EM MOLHO BALSÂMICO - Deliciosos peitos de frango com mozzarella, aconchegados por tomates-cereja assados com molho balsâmico de alho, ervas e mel.
SALADA DE FEIJÃO PRETO - Uma salada simples, pronta em minutos. É um óptimo acompanhamento para grelhados ou prato principal para vegetarianos.
SALADA DE TORTELLINI COM VINAGRETA DE MANJERICÃO - Esta salada de Verão é rápida e uma das minhas favoritas. Temperada com uma vinagreta super aromática conquista todos à mesa.
PESTO DE ESPINAFRES E NOZ - Para envolver em massas, saladas ou para barrar sanduíches, este pesto é mais económico do que o tradicional, igualmente saboroso e fácil de fazer.