A simplicidade conquista-nos nesta tarte de maracujá, de sabor suave e recheio macio, com uma massa feita de raiz.

Há poucos frutos mais lindos que o maracujá, não acham?

Existem dois tipos comuns de maracujá: o fruto de cor roxa, mais conhecido por nós e o de cor amarela, que é do tamanho de um limão.

O maracujá, que nasce espontaneamente nas zonas tropicais e subtropicais do continente americano, é também conhecido como o Fruto da Paixão, em inglês ‘passion fruit’, já que é um fruto produzido pelas plantas do género Passiflora… mas na verdade essa paixão nada tem a ver com o sentimento que une as pessoas. Tem sim um simbolismo religioso relacionado com a Paixão de Cristo.

E tudo por causa desta flor. Ainda mais linda que o fruto.

A flor do maracujá.


By PumpkinSkyOwn work, CC BY-SA 4.0, Link

Quando os jesuítas chegaram à América do Sul no século XVI ficaram encantados com a beleza exuberante e as características desta flor e fizeram dela uma representação do Calvário de Cristo. Baptizaram-na como Flor das 5 Chagas.


By Petar MiloševićOwn work, CC BY-SA 4.0, Link

Desde logo, acharam que a planta se parecia com uma visão descrita por São Francisco de Assis – uma videira subindo a cruz onde Jesus foi crucificado. Mas não se ficaram por aí e encontraram um significado religioso em todas as partes da flor:

  • As 10 pétalas e sépalas representavam os 10 apóstolos fiéis, excepto Judas, o traidor, e Pedro, que negou conhecê-lo por três vezes;
  • Os 5 estames representavam as 5 chagas de Cristo;
  • Os 3 principais estigmas, cada um com uma cabeça arredondada, simbolizavam os três pregos usados na crucificação;
  • Os filamentos radiais, que são dezenas em cada flor, representavam a coroa de espinhos;
  • No ovário da flor os jesuítas viram a representação do cálice sagrado;
  • As gavinhas, típicas das videiras e das trepadeiras, representavam os chicotes da flagelação.
  • As flores que estão abertas para polinização apenas durante um dia, acabam por cair ao terceiro dia, o que simboliza também os tempo entre a morte e a ressurreição de Cristo.

A flor do maracujá foi assim entendida como um sinal de Deus para a missão de evangelização dos indígenas naquelas terras distantes.  Até a cor da flor – principalmente roxa – é associada à cor litúrgica da Quaresma.

Que bela história, não acham?

Bom, agora que já conhecem a história, está na hora de conhecerem a receita desta tarte que é tão simples e tão deliciosa.

Como sabem eu não costumo comprar massa quebrada, faço-a de raíz porque o resultado é sempre de uma qualidade muito superior. Fazer a massa não custa nada, e no processador é num instante.

Depois de descansar um pouco no frigorífico a massa vai para o forno sozinha, em duas fases. Nada de complicado. O objectivo é que fique dourada.

Só depois se verte o recheio, que misturamos numa taça num instante à mão. Muito simples. Basta uma vara de arames.

Esta tarte ganha imenso sabor se usarmos mesmo polpa do fruto. No entanto, na falta, temos a opção da polpa em lata. Mas, tal como digo, não é tão bom. O que não significa que não seja bom. Só não sabe tanto a maracujá.

Depois de feita, podemos guardar a tarte num local fresco, ou mesmo no frigorífico, para refrescar até à hora de servir.

Espero que gostem… e se adoram tartes espreitem na secção TORTAS E TARTES que há mais sugestões de que vão certamente gostar!

Veja o vídeo desta receita

Subscreva e comece a receber as newsletters em primeira mão

tempo de preparação: 1 hora + 30 minutos para refrigeração da massa
tempo de forno: 30 a 35 minutos
dificuldade: fácil
rendimento: 10 fatias
A simplicidade conquista-nos nesta tarte de maracujá, de sabor suave e recheio macio, com uma massa feita de raiz.

Tarte Fácil
de Maracujá

tarte maracujá destaque site
A simplicidade conquista-nos nesta tarte de maracujá, de sabor suave e recheio macio, com uma massa feita de raiz.
tempo de preparação: 1 hora + 30 minutos para refrigeração da massa
tempo de forno: 30 a 35 minutos
dificuldade: fácil
rendimento: 10 fatias

Ingredientes:

MASSA:
  • 250 g de farinha T65 sem fermento
  • 60 g de açúcar fino
  • 125 g de manteiga sem sal, fria
  • 1 ovo
RECHEIO:
  • 250 ml de natas 35% MG (natas para bater)
  • 100 g de açúcar fino
  • 4 ovos L
  • 8 a 10 maracujás ou 175 ml de polpa de maracujá em lata

UTENSÍLIOS:

  • Tarteira de 24 cm de diâmetro com fundo falso

Confecção:

  1. Faça a massa. Coloque no processador a farinha, o açúcar e a manteiga fria em pedaços e processe até ficar com uma mistura areada. Junte o ovo e mantenha a máquina a funcionar até a massa se ligar numa bola.
  2. Coloque a massa na bancada ligeiramente enfarinhada e amasse à mão durante 1 ou 2 minutos até ficar mais macia.
  3. Estenda a massa numa tarteira de fundo falso com 24 cm de diâmetro. Guarde no frigorífico durante 30 minutos.
  4. Pré-aqueça o forno a 200º C. Coloque papel vegetal sobre a massa e cubra com pesos de cerâmica (pode também usar arroz ou leguminosas secas como grão ou feijão). Coza a massa durante 10 minutos. Depois retire os pesos e o papel e leve de novo ao forno por mais 10 minutos até a massa ficar ligeiramente dourada.
  5. Enquanto isso, coloque numa taça as natas, o açúcar e os ovos e bata à mão com uma vara de arames até estar tudo ligado. Finalmente envolva a polpa de maracujá.
  6. Verta o recheio sobre a massa, reduza o forno para 160º C e leve para cozer durante 30 a 35 minutos. O ideal é que o recheio esteja ligeiramente bamboleante no final.
  7. Depois de arrefecer mantenha a tarte em local fresco ou conserve-a coberta no frigorífico até à hora de servir.

Notas:

  • esta tarte é mais saborosa com a polpa da fruta fresca, mas na falta pode usar polpa de lata.

Outras informações:

8 comentários para “Tarte Fácil <br> de Maracujá”

  1. Gostaria de sugerir, que as receitas sejam mais saudáveis, no sentido das substituições de açúcar, farinha que normalmente é o mais prejudicial . As receitas são ótimas , mas por vezes não sei substituir para se tornarem menos prejudiciais à saúde.
    Muitíssimo Obrigada

    1. Ana a questão de ser mais saudável é algo que pode adaptar ao seu gosto cortando por exemplo no açúcar ou fazendo substituição de farinhas. Isso é fácil para quem tenha alguma experiência. Se a Ana não tem fica mais complicado, mas tenho receitas de tudo, com mais e menos açúcar, com e sem glúten, há uma grande variedade. No açúcar pode quase sempre substituir o branco por mascavado ou amarelo, e nas farinhas pode usar esperta ou farinha sem glúten.

  2. Olá Clara, obrigada por nos deliciar com estas receitas, pergunto se posso usar queijo quark, em vez de natas. Agradecida Zélia Batista

  3. Já fiz está tarde de maracujá e é deliciosa…
    Fiz com maracujá em lata e o difícil foi convencer os de casa que deviam deixá-la arrefecer.
    A Clara continua a surpreender
    Beijinhos e muito obrigada
    Isabel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.