Quem gosta de suflê?

Costumam fazer?

Comi este prato muitas vezes em criança, como aproveitamento de peixe ou até legumes que tivessem sobrado.

Lá por casa não havia desperdício, tudo se transformava e a minha mãe, certamente com a memória sempre presente dos tempos de grande carência alimentar, era a primeira a encontrar uma solução.

Aquela posta que ninguém comeu? Pois bem, dá para um suflê.

O suflê é um prato vintage, chamemos-lhe assim.

Durante décadas era visto como um prato de gente fina e endinheirada, que provavelmente falava francês – coisa chique – mas fora de brincadeiras… era e é um prato delicado que exige cuidado na preparação.

A textura é leve e insuflada e para isso há vários “segredos”.

Muitas pessoas pensam que é aborrecido fazer suflê porque abate muito depressa, mas para isso a solução é estarem todos já na mesa, não há outras, se bem que há técnicas para retardar um pouco esse abatimento, mas só mais uns minutos, porque não há milagres. Ele vai sempre abater se ficar à espera.

O suflê de queijo é um clássico. Remete-me ao século passado e aos videos da Julia Child. Vénia para a mestre.

Aqui, em vez de queijo, usei peixe.

Depois de fazer filetes de duas douradas, coloquei cabeças e espinhas ao lume para fazer um bom caldo de peixe.

No final, retirei toda a carninha, juntei um filete que tinha sobrado, e eis que nasceu uma refeição para 4-6 pessoas.

Melhor aproveitamento é difícil.

Por regra, as receitas que encontramos indicam tempos que são claramente insuficientes, o que provoca um abatimento muito mais rápido. Se gostam dos suflês quase crus por dentro muito bem. Se não, o ideal é deixarem-no mais uns 5 minutos no forno e fazerem o teste do palito (com um palito comprido), furando na lateral onde o suflê cria uma racha, até ao centro. Só a ponta pode estar húmida, todo o resto do palito estará seco.

Na receita – que podem guardar ou imprimir – está tudo explicado, nomeadamente a possibilidade de fazerem uma parte da preparação com antecedência e também os passos mais importantes a reter para terem um suflê lindo e delicioso, ainda húmido no interior, alto e fofo.

Uma delícia.