Grandes, ocos, leves e deliciosos. Estes Sonhos são irresistíveis na mesa de Natal passados por açúcar e canela ou com uma calda.

Sonhar é bom. Quando um homem sonha, a obra nasce.

E eis a obra que os portugueses – a maioria pelo menos – não dispensa na mesa de Natal.

Esta receita de Sonhos é a que a minha mãe sempre fazia, salvo erro de uma velhinha Teleculinária do final dos anos 70 do saudoso chefe Silva. É também a que sempre faço e que nunca me falha.

A massa dos Sonhos é muito semelhante à massa choux usada para os profiteroles, mas leva menos manteiga.

É cozida no tacho…

Depois deixamos arrefecer um pouco e, à mão ou na batedeira, vamos juntando os ovos inteiros, um a um, envolvendo o próximo depois de o anterior ter sido completamente absorvido.

No final, ficamos com uma massa densa e cremosa, que custa a cair da colher, tipo aquelas boas maioneses feitas em casa.

Para fritar os sonhos, precisamos de um recipiente largo com óleo, para que os sonhos possam dançar de um lado para o outro, à medida que vão abrindo e crescendo.

Este processo requer um óleo que não esteja demasiado quente, caso contrário o exterior dos sonhos sela rapidamente e a massa não abre e, em consequência, eles não crescem.

Muita atenção portanto nesta parte. Devemos manter o lume mais baixo, caso contrário teremos sonhos pequenos e massudos, em vez de sonhos grandes e ocos, como este.

Lembro-me de que foi precisamente com uma grande taça de sonhos que o Paulo Varanda se estreou, com a alegria de sempre, enquanto “provador oficial” em Dezembro de 2011, tinha eu acabado de lançar o meu 1º livro de cozinha.

E foi um ar que se lhes deu. Estavam deliciosos.

Perguntam-me muitas vezes qual o segredo para que os sonhos não amoleçam. Não há.

Os sonhos acabam sempre por amolecer a partir do dia seguinte e continuam óptimos mesmo assim. O importante é que se mantenham gordos e não encolham e isso só se consegue quando se fritam bem, seguindo as indicações que já referi.

Sejam passados por açúcar e canela ou servidos com uma calda, estes Sonhos estão sempre presentes na minha mesa de Natal.

E na vossa?

Preferem os sonhos ou as filhós de abóbora ou cenoura?

Veja o vídeo desta receita no meu canal

tempo de preparação: 15 minutos + tempo de fritura
dificuldade: Média
Grandes, ocos, leves e deliciosos. Estes Sonhos são irresistíveis na mesa de Natal passados por açúcar e canela ou com uma calda.

Sonhos
de Natal

destaque nova
Grandes, ocos, leves e deliciosos. Estes Sonhos são irresistíveis na mesa de Natal passados por açúcar e canela ou com uma calda.
tempo de preparação: 15 minutos + tempo de fritura
dificuldade: Média

Ingredientes:

  • 250 ml de água e leite (meio por meio)
  • 50 g de manteiga ou margarina
  • 1 casca de limão
  • Uma pitada de sal
  • 150 g de farinha com fermento
  • 4 ovos (3 se forem muito grandes)
  • açúcar e canela para polvilhar q.b
  • óleo para fritar
  CALDA(opcional)
  • 100 g de açúcar
  • 1 casca de limão ou laranja
  • 1 pau de canela
  • 50 ml de água

UTENSÍLIOS:

Confecção:

FAZER OS SONHOS:
  1. Num tacho leve ao lume a água e leite, a margarina, a casca de limão e o sal. Deixe levantar fervura.
  2. Retire do lume, junte a farinha de uma só vez e bata vigorosamente com colher de pau para envolver sem fazer grumos.
  3. Leve de novo ao lume e deixe cozer a massa um pouco até se descolar do fundo do tacho.
  4. Coloque a massa noutro recipiente, retire a casca de limão e deixe arrefecer, abrindo a massa com as mãos para ser mais rápido.
  5. Quando a massa estiver morna, junte os ovos um a um – se for mais fácil junte o primeiro e misture com a mão, apertando bem a massa entre os dedos até o ovo ser absorvido. Envolva os restantes ovos, batendo muito bem com colher de pau ou vara de arames para evitar fazer grumos. Em alternativa, pode fazer todo este processo na batedeira. A textura ideal da massa é semelhante à de uma boa e consistente maionese feita em casa.
  6. Coloque 2 a 3 dedos de óleo numa frigideira alta e larga. Quando o óleo estiver quente (não demasiado quente) deite colheradas de massa, empurrando rapidamente com o dedo – EU USO UMA COLHER DE SOBREMESA CHEIA COMO MEDIDA – e deixe fritar lentamente com o lume baixo para evitar que dourem rapidamente. Eles vão dançar no óleo e abrir e rodar e virar sozinhos – deixe-os nesse “baile” até ficarem 3 ou 4 vezes maiores. No final, se já não se virarem sozinhos, dê-lhes uma ajuda para dourarem por igual. Não frite muitos de cada vez. Deixe bastante espaço para crescerem.
  7. Quando estiverem no ponto, retire-os com uma escumadeira, deixando escorrer o máximo de óleo possível e coloque-os num tabuleiro com açúcar e canela. Rode-os sobre essa mistura e disponha num prato ou taça para servir. Em alternativa pode optar por uma calda de açúcar.
FAZER A CALDA:
  1. Coloque todos os ingredientes num tachinho e leve ao lume. Deixe ferver durante 5 minutos, coe, deixe arrefecer e sirva numa molheira.

Notas:

  • Não frite os sonhos em óleo muito quente para abrirem e crescerem bem.

Outras informações:

Partilhe esta receita nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on pinterest
Pinterest

Veja também...

23 comentários para “Sonhos <br> de Natal”

  1. Olá Clara, quero agradecer a dica, da temperatura do óleo, fez toda a diferença. Eles fizeram todo um ballet, a fritar e no final, sorriram para mim. Ficaram uns sonhos maravilhosos,
    Beijinhos e Bom Natal.

  2. Olá Clara, quero agradecer a dica da temperatura do óleo, fez toda a diferença. Eles pareciam, todo um ballet, na frigideira e no fim ainda sorriram para mim!São um sonho mesmo! Feliz Natal.

  3. Estes sonhos são maravilhosos. Na minha mesa de Natal não faltam, na minha receita no final junto abóbora muito bem escorrida á massa e ficam deliciosos. Muito obrigado pelas suas receitas maravilhosas que saem sempre bem.

        1. Ana, não sei se faz na batedeira ou à mão. Eu meto-a ainda quente na batedeira e começa logo a bater para arrefecer, é um instantinho 🙂

  4. Obrigada querida Clara de Sousa por partilhar esta receita dos sonhos. Nunca me tinha aventura a fazer sonhos, mas correu lindamente. Eu adoro as filhós de pão que a minha querida mãe faz, mas desta vez aventurei-me a experimentar fazer alguns sonhos tal e qual como a Clara ensina e foi fantástico o resultado. Muito obrigada e tenha um Feliz Natal. Muito docinho e com saúde.

  5. Olá Clara, a minha receita é mais ou menos igual…. não leva leite, a mesma quantidade, mas só de água.
    Será que o leite ajuda a que não fiquem rijos no dia seguinte?
    Vou experimentar…depois digo-lhe!!!
    Beijinho!!!
    Um Santo e Feliz Natal!!!

    1. O leite deve deixá-los mais macios. Os meus amolecem no dia seguinte, é normal, mas não ficam rijos. Experimente e diga-me depois se nota diferença em relação aos seus. Feliz Natal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.