Queques de Manteiga.

Para os da minha geração estes queques eram inconfundíveis no sabor, na textura e no aspecto.

Uns queques de massa densa, mas macia, com o formato ondulado típico das formas em que sempre foram feitos. Eram sempre os escolhidos para saciar a fome depois de muita energia gasta ao longo do dia.

Com o passar dos anos, a qualidade foi decaindo e hoje, na maior parte dos locais onde os podemos comprar, já não sabem ao mesmo.

Mas eis que certo dia recebi na minha caixa de mensagens do Facebook um desafio de uma seguidora de Cascais. Ela indagava se eu conheceria a receita de uns queques que se vendem numa casa aqui do concelho e que, segundo ela, eram os únicos que ainda se assemelhavam aos que ela comia em criança.

Eu gosto de desafios e, com tempo, dedico-me às receitas, repetindo-as as vezes necessárias até sentir que estão no ponto.

Foi o que aconteceu.

Pesquisei em livros e na internet. Cruzei métodos e ingredientes e quantidades, fui acertando numa espécie de navegação à vista até chegar a este resultado.

Fi-lo em boa hora, porque estes queques são maravilhosos.

Para testar a sua qualidade só faltava o “provador oficial” dizer de sua justiça.

E o Paulo, numa frase singela, logo após a 1ª dentada, disse-me uma das coisas que mais gosto de ouvir:

“Estes queques levam-me à minha infância”.

Não era preciso dizer mais. O objectivo era só esse.

Quando a comida nos transporta a um lugar de conforto, como a infância, cumpriu a função, não apenas de nos alimentar o corpo, mas também a alma.

Tenho por tradição fazer queques para os meninos que todos os anos vêm pedir o Pão por Deus. Quase sempre faço os Queques de Chocolate de Liquidificador – que são excelentes – mas também já fiz estes de manteiga e dessa vez até os fiz nas suas formas onduladas tradicionais.

Aqui estavam eles, à entrada, a arrefecer, à espera que a campainha tocasse.

É sempre uma alegria ver como os olhos das crianças conseguem sorrir antes de tudo o resto, já que a boca está ocupada a mastigá-los.

Para terem uns queques perfeitos deixo alguns conselhos sobre o que usar e não usar. Sim, devem usar manteiga sem sal de qualidade, nunca manteiga com sal ou margarina. E sim, devem usar a farinha para usos culinários, a T65 sem fermento. Não significa que a farinha para bolos não funcione, porque funciona, mas a textura fica diferente… e nestes queques o sabor e textura andam de mãos dadas.

Espero que gostem!