Todos vão ser conquistados por estes queques com o sabor e a textura dos queques de antigamente que se compravam nas padarias.

Queques de Manteiga.

Para os da minha geração estes queques eram inconfundíveis no sabor, na textura e no aspecto.

Uns queques de massa densa, mas macia, com o formato ondulado típico das formas em que sempre foram feitos. Eram sempre os escolhidos para saciar a fome depois de muita energia gasta ao longo do dia.

Com o passar dos anos, a qualidade foi decaindo e hoje, na maior parte dos locais onde os podemos comprar, já não sabem ao mesmo.

Mas eis que certo dia recebi na minha caixa de mensagens do Facebook um desafio de uma seguidora de Cascais. Ela indagava se eu conheceria a receita de uns queques que se vendem numa casa aqui do concelho e que, segundo ela, eram os únicos que ainda se assemelhavam aos que ela comia em criança.

Eu gosto de desafios e, com tempo, dedico-me às receitas, repetindo-as as vezes necessárias até sentir que estão no ponto.

Foi o que aconteceu.

Pesquisei em livros e na internet. Cruzei métodos e ingredientes e quantidades, fui acertando numa espécie de navegação à vista até chegar a este resultado.

Fi-lo em boa hora, porque estes queques são maravilhosos.

Para testar a sua qualidade só faltava o “provador oficial” dizer de sua justiça.

E o Paulo, numa frase singela, logo após a 1ª dentada, disse-me uma das coisas que mais gosto de ouvir:

“Estes queques levam-me à minha infância”.

Não era preciso dizer mais. O objectivo era só esse.

Quando a comida nos transporta a um lugar de conforto, como a infância, cumpriu a função, não apenas de nos alimentar o corpo, mas também a alma.

Tenho por tradição fazer queques para os meninos que todos os anos vêm pedir o Pão por Deus. Quase sempre faço os Queques de Chocolate de Liquidificador – que são excelentes – mas também já fiz estes de manteiga e dessa vez até os fiz nas suas formas onduladas tradicionais.

Aqui estavam eles, à entrada, a arrefecer, à espera que a campainha tocasse.

É sempre uma alegria ver como os olhos das crianças conseguem sorrir antes de tudo o resto, já que a boca está ocupada a mastigá-los.

Para terem uns queques perfeitos deixo alguns conselhos sobre o que usar e não usar. Sim, devem usar manteiga sem sal de qualidade, nunca manteiga com sal ou margarina. E sim, devem usar a farinha para usos culinários, a T65 sem fermento. Não significa que a farinha para bolos não funcione, porque funciona, mas a textura fica diferente… e nestes queques o sabor e textura andam de mãos dadas.

Espero que gostem! 

Veja o vídeo desta receita

Subscreva e comece a receber as newsletters em primeira mão

tempo de preparação: 15 minutos
tempo de forno: 15 minutos
tempo total: 30 minutos
dificuldade: fácil
rendimento: 12
Todos vão ser conquistados por estes queques com o sabor e a textura dos queques de antigamente que se compravam nas padarias.

Queques de Manteiga
(de antigamente)

destaque 2
Todos vão ser conquistados por estes queques com o sabor e a textura dos queques de antigamente que se compravam nas padarias.
tempo de preparação: 15 minutos
tempo de forno: 15 minutos
dificuldade: fácil
rendimento: 12

Ingredientes:

  • 250 g de farinha T65 sem fermento
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • Meia colher de chá de sal fino
  • 175 g de manteiga sem sal, amolecida
  • 150 g de açúcar
  • 2 ovos
  • 75 ml de leite

UTENSÍLIOS:

  • Batedeira com acessório de pinha
  • formas de queques
  • spray ou manteiga para untar as formas e farinha para polvilhar

Confecção:

  1. Numa taça misture a farinha, o fermento e o sal. Reserve.
  2. Na taça da batedeira, coloque a manteiga amolecida e o açúcar. Bata muito bem, com acessório de pinha, até ficar um creme macio e esbranquiçado (esta parte é muito importante para garantir a textura perfeita).
  3. Junte os ovos, um a um, batendo, a baixa velocidade, até serem absorvidos.
  4. Envolva um terço da mistura de farinha, à  mão, com movimentos circulares de cima para baixo. Depois envolva um terço do leite. Repita, alternadamente, até esgotar os dois ingredientes.
  5. Distribua a massa por formas de queques, untadas e enfarinhadas, até dois terços da altura. Leve a forno pré-aquecido a 200º C durante 15 minutos. [Se quiser uns queques ainda mais tostadinhos no topo, ligue a grelha superior no último minuto.]
  6. Retire do forno, deixe arrefecer um pouco e desenforme os queques. Coloque-os sobre uma grelha para esfriarem.

Notas:

PARA QUEQUES PERFEITOS

  • Use – manteiga de boa qualidade sem sal e farinha T65 (para usos culinários)
  • Não use – farinha para bolos, manteiga com sal ou margarina

Outras informações:

21 comentários para “Queques de Manteiga <br> (de antigamente)”

  1. Olá Clara, viva 🙂

    Estou maravilhada com o resultado destes queques!
    Quando vi a receita pensei logo nos queques de pastelaria com aqueles bicos…e disse, “ah a sério?! Vou ter de experimentar”!
    E experimentei…1, 2 vezes! 1 vez, depois mais pequenos com uma cobertura e conclui que são para repetir mas da forma original, sem qualquer cobertura! O sabor a manteiga é o bastante para que fiquem uma pequena maravilha 🙂

    Obrigada (só me faltam as formas com os bicos para ficarem mesmo como antigamente)!!

    Obrigada obrigada!!

  2. Olá Clara
    Quando fui ver a sua receita dos queques de manteiga, sim, os tais… fiquei alegremente surpreendida pois corresponde à de uns bolinhos que fiz muitas vezes na minha adolescência, só que lhe chamávamos MARAVILHAS que são efetivamente maravilhosas! O tipo de farinha, bem, era a que havia lá em casa mas agora vou seguir os seus preciosos conselhos

  3. olá,clara,vi hoje a gravação da sua entrevista na alta definição,gostei muito,e ainda mais,porque você falou nos queques de manteiga,são,também como os da mimha infância,vou fazer para os meus netos,no próximo fim de semana ,que estiver com eles,obrigado e parábens

  4. Boa noite Clara,

    Adorei ve la no Alta Definição e Parabens pela apresentação dos Globos de Ouro, estava linda.

    Experimentei a receita dos queques de “antigamente”, segui à regra e o resultado foi magnifico. Que delicia, que textura!

    Obrigada pelas dicas! Vão ficar os queques da Clara!

    Tudo de bom para a Clara que merece!

    Um xi coracao
    Ana Maria

  5. Boa noite Clara onde é que eu posso ver o n. T 55 ou T 65 ? Peço desculpa mas ainda hoje estive no Continente de Oeiras Parque e comprei a Branca de Neve para bolos mas não consegui ver onde está o nº. Obrigada pela ajuda.

    1. Helena, para bolos é T55, por regra encontra nas letras da embalagem, sobretudo a T65 que é a de usos culinários. Depois ainda encontra a super fina T45, que há em embalagens da branca de neve de 500g.

  6. Ana Benedita Sampaio

    Boa noite Clara,
    tenho o mesmo problema pois não tenho o acessório de pinha, o que tenho é a varinha mágica e batedeira elétrica simples… como posso fazer?
    Muito obrigada

    1. Olá Ana, o acessório de pinha é o de arames; se tem a batedeira eléctrica manual corresponde aos normais usados para bater claras. E quando eu falar em acessório de pá, que serve para a massa mais pesada, usa os torcidos da batedeira eléctrica de mão. Varinha mágica nunca 🙂 isso é para sopas e outros cremes, não para isto.

    1. Olá Ana. Tem de se bater muito bem a manteiga com o açúcar até ficar muito cremoso e isso só consegue com o acessório de pinha ou batendo com batedeira de mão. Qual a que máquina que tem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.