Aqui estamos já com o Natal à porta e a pensar no que vamos colocar na mesa.

Para muitas famílias, tudo se repete, as mesmas receitas de sempre. São de conforto. Mas para outras, cada Natal é uma nova oportunidade de arriscar em novos pratos.

Pessoalmente gosto de ir variando, mas há algumas que repito sempre: os sonhos, o arroz-doce, o bolo rainha e o tronco de Natal nunca falham. Também o bacalhau com broa e a perna de peru no forno sempre me acompanharam.

Este ano, no entanto, já a pensar na receita que iria partilhar convosco, decidi arriscar noutro clássico, mas desconstruído: o belo peru… ou melhor dizendo, perua… que tantas famílias fazem para colocar na mesa, como peça inteira, à espera de ser trinchada.

Pessoalmente não acho muita graça a ter de trinchar o peru na hora de o comer e por isso optei por fazer esse trabalho e servir o peru já desmanchado com um belíssimo molho quente.

Recorri à receita do chef Gordon Ramsay, fazendo algumas alterações, e o resultado foi espectacular.

Vamos por partes para perceberem bem este processo.

A manteiga: É super aromática e, além de impregnar o peru, faz um molho maravilhoso. Não se preocupem se o sumo de limão não for absorvido totalmente, porque no final vai tudo para o peru de qualquer forma.

A maior parte da manteiga é enfiada sob a pele do peito do peru e a restante é para barrar por fora.

Este peru não é recheado, mas a cavidade é preenchida com elementos que vão aromatizar a carne e que darão depois um belo molho: limão, cebola e louro.

As pernas são atadas com um fio e está pronto a ir para o forno ou a descansar no frigorífico. Eu prefiro deixá-lo descansar de um dia para o outro, para incorporar todo o aroma da manteiga, e só depois o assar.

Apesar de ter toda esta manteiga é aconselhável que se regue o peru também com um pouco de azeite para evitar que a manteiga queime.

Depois é metê-lo no forno a alta temperatura durante uns 20 minutos antes de proteger o peito com tiras de bacon.

Como o peru é grande, por regra, o ideal é colocá-lo na prateleira mais abaixo do forno para evitar que o peito fique muito perto do topo do fogão. Eu deixei o meu um pouco alto e, apesar de o peru não ter sofrido muito com isso, o bacon, coitado, ficou bem esturricado. Quando dei por ele ainda o protegi com alumínio mas já não havia muito a fazer.

De qualquer forma, por uma questão de segurança, tapem o peito com alumínio mais ou menos a meio do tempo previsto para assar a vossa ave.

Falando de tempos… eu aponto para uma média de 25 minutos por quilo (contando com os 20 minutos iniciais), tendo o cuidado de verificar o ponto de cozedura uma meia hora antes de terminar o tempo. Enquanto assa, é fundamental regá-lo algumas vezes com o próprio molho.

Se tiverem um termómetro de carnes enfiem-no entre a coxa e o peito, quase até chegar ao osso. O objectivo é que atinja uma temperatura de 73º C.

O chef Ramsay refere que uma das primeiras coisas que lhe ensinaram na escola de cozinha foi que o peru deve descansar à temperatura ambiente o mesmo tempo que levou a assar. O meu assou durante cerca de 2 horas e meia, sem contar os 20 minutos iniciais e descansou durante 3 horas, antes de o desmanchar para servir.

O que fazer nessas horas de descanso? O molho claro! Um molho magnifico deixem-me dizer-vos. Aproveitamos o tabuleiro em que assámos o peru e refogamos, esmagamos, fervemos…

Depois coamos e lá vai ele bem quente para a mesa. Top, top, top… este molho!

Para o mexermos usamos um raminho de alecrim em vez de uma colher. Ganha ainda mais aroma.

Optei por colocar gomos de tangerina na travessa do peru porque a tangerina é muito refrescante e conjuga muito bem com este prato. Mas podem colocar laranja. Fica óptimo também.

Servi a carne à temperatura ambiente com o molho bem quente, o que simplifica o trabalho de ter de manter o peru quente, correndo o risco de o secar demasiado.

Para acompanhar o peru fiz um mix de batata branca e batata-doce assadas no forno com sal, azeite, alho, tomilho e vinagre. Um verdadeiro pitéu que desapareceu rapidamente.

E aqui têm a minha sugestão de carne para o Natal deste ano.

Se têm vegetarianos à mesa espreitem a receita que partilhei na semana passada: um delicioso Ratatouille Especial com Ovos Escalfados.

Se optarem por outros pratos espreitem o que tenho na secção NATAL.

Resta-me desejar a todos um Natal muito feliz!