Gosto de um bom patê de fígado. Gosto e faço muitas vezes. Mas como sabem, quando temos vegetarianos em casa temos de fazer um esforço para encontrar soluções que não os deixem de fora e estas receitas inclusivas são os meus maiores desafios para conseguir um resultado que supere as expectativas.

Neste caso do patê de cogumelos a solução foi perfeita porque este patê é sempre apreciado por todos. E nem sequer leva queijo-creme para não refilarem com as calorias.

Conheço muita gente que não aprecia cogumelos porque acha que não têm grande sabor, mas neste caso… meus amigos… este patê tem imeeeeenso sabor. Sabe a cogumelo, sabe a noz, sabe a tomilho, sabe muito bem do princípio ao fim. E fica tudo pronto em apenas 20 minutos.

A primeira coisa a fazer é meter as nozes no forno para tostarem um pouco e soltarem bem aquele óleo natural que é tão importante para a textura deste patê.

O resto é refogado na frigideira, até ficarmos com uns cogumelos sequinhos e bem cozinhados.

Depois o processador faz o resto. Pessoalmente gosto de triturar um pouco as nozes antes de juntar os cogumelos, para não correr o risco de ficar com pedaços maiores. Depois de juntarmos tudo é só triturar até termos a textura que queremos. No meu caso, prefiro um patê que não esteja nem demasiado grosseiro nem demasiado cremoso. Gosto dele ali no meio termo, mas adaptem ao vosso gosto.

Este patê servido como entrada com crackers, tostas ou fatias de baguete fica um must em dias de festa ou naqueles jantares ou almoços com família e amigos.

É tão bom tão bom que também é perfeito para fazer sanduiches para levar na marmita.

Espero que o façam e que gostem dele tanto quanto nós aqui em casa… e fico a aguardar as vossas opiniões.

Ah, mas espreitem outras opções fantásticas como os húmus que tanto adoro ou outras entradas. Certamente encontrarão soluções para agradar a todos.