Um pão fantástico, com alma rústica, que coze na panela. Fica pronto em pouco mais de duas horas e meia e não precisa de ser amassado.

Nesta fase de isolamento social e maior presença em casa, em que tantos optam por fazer o próprio pão, dei por mim a pensar fazer um pão que não desse trabalho quase nenhum, que não precisasse de demasiado tempo de espera, e que fosse super saboroso e com um aspecto 5 estrelas.

Sabemos com está em voga o pão de aspecto rústico que não precisa de ser amassado.

Só por aí já é perfeito… só que muitas receitas pedem um dia de descanso, o que faz sentido, porque o pão ali fica, a trabalhar sozinho, a desenvolver sabores mais profundos… e nós, de facto, não temos trabalho, a não ser misturar os ingredientes e, no final, metê-lo no forno.

Mas para já, queria um que fosse semelhante, mas que não exigisse tanto tempo de espera. Não é de facto pelo trabalho, é mesmo só o tempo de espera e às vezes queremos um bom pão para “o quanto antes” e não dá para esperar 24 horas.

O método base é igual a todos os outros tradicionais: farinha, fermento, açúcar, água e sal.

Apenas 5 ingredientes… e não precisamos de ser especialistas em fazer pão para termos um pão maravilhoso!

Nesta receita, para ser ainda mais simples e rápido, uso fermento seco de padeiro de acção rápida. A diferença em relação ao normal é que este não precisa de ser activado antes. Podemos misturá-lo logo com os restantes ingredientes e ele actua rapidamente.

Se não tiverem este de acção rápida usem o fermento de padeiro seco normal ou até o fresco.

Se usarem o normal diluem o fermento e o açúcar num pouco da água morninha – atenção para não a terem muito quente para não matarem o fermento. Esperam 10 minutos. Se borbulhar é sinal de que o fermento está vivo e já o podem juntar aos restantes ingredientes.

Se usarem fermento fresco terão de usar 15 g. Esfarelam-no, juntam o açúcar e um pouco água morninha para o desfazer e depois já o podem juntar aos restantes ingredientes e seguir o restante processo.

Quanto tempo demorou? 5 minutos a misturar tudo? Que maravilha!

Agora é deixar a levedar num local quentinho, sem correntes de ar. Este levou hora e meia a crescer assim, mas também podem aquecer ligeiramente o forno, não mais de 40 graus, desligar e meter lá dentro a taça com a massa coberta. Vai levedar muito bem.

Depois de levedar, a massa vai estar muito húmida e peganhenta, não vai dar para moldar, mas não se preocupem, é mesmo assim.

Só temos de a cozer numa panela de ferro fundido com tampa – atenção que a tampa não pode ter pega de plástico. Se tiver retirem, é o que eu faço. Para este pão, uso uma panela média de 22 a 24 cm de diâmetro.

Não têm uma panela de ferro fundido? Não faz mal. Podem usar uma panela de alumínio ou um recipiente de barro redondo. Não aconselho as panelas de inox porque o inox não é um bom condutor de calor, mas há quem faça e diga que tem bons resultados. Também me dizem que funciona com uma taça de Pyrex, daquelas com tampa. Eu não testei, mas já vi imagens de pães feitos no Pyrex e com excelente aspecto.

Vejam o que têm em casa que possa funcionar, e usem. Para mim, já sabem… tendo panelas de ferro é o que uso, porque concentram muito mais calor do que as outras, dando um choque térmico mais acentuado de que o pão precisa.

Depois de cozer tapado retiramos a tampa…

E coze durante mais 15 minutos a uma temperatura ainda mais elevada, para ganhar esta cor incrível.

Como sabemos se o pão está mesmo bem cozido? É muito fácil… batemos na base do pão e se fizer um som oco está no ponto.

O cheiro a pão fresco acabado de cozer é incrível e a nossa cozinha fica inundada com este aroma maravilhoso.

Mas esperem… não vale abrir já já… pão quente sim, também adoro, mas esperem uns 15 minutos a meia hora até cortarem a primeira fatia. O pão agradece. E nós também.

Aqui no site tenho outros pães. A Baguete Rústica dá mais trabalho do que este mas fica também incrível… e há outros pães que podem descobrir AQUI.

ADENDA (sábado 2 de Maio):

Como me dizem que não encontram fermento, fiz finalmente esta receita com massa-mãe.

Usei 300g de massa-mãe em substituição do fermento de padeiro – uma quantidade generosa para não correr riscos – e não mexi na quantidade dos restantes ingredientes. Cobri e meti num local quentinho e lá ficou durante 3 horas – demora bastante mais a levedar do que com fermento industrial.

O pão ficou óptimo na mesma como podem ver pela foto. Ficou um pão um pouco maior do que o original, devido à quantidade de massa-mãe.

Subscreva a newsletter e receba as receitas em primeira mão!

Veja o vídeo desta receita no meu canal

tempo de preparação: 10 minutos + tempo de levedura
tempo de forno: 60 minutos
tempo total: 1 Hora 10 minutos + tempo de levedura
dificuldade: fácil
rendimento: 1 pão
Um pão fantástico, com alma rústica, que coze na panela. Fica pronto em pouco mais de duas horas e meia e não precisa de ser amassado.

Pão Rústico Rápido
(sem amassar)

pão rústico destaque site
Um pão fantástico, com alma rústica, que coze na panela. Fica pronto em pouco mais de duas horas e meia e não precisa de ser amassado.
tempo de preparação: 10 minutos + tempo de levedura
tempo de forno: 60 minutos
dificuldade: fácil
rendimento: 1 pão

Ingredientes:

  • 500 g de farinha T65 sem fermento
  • 450 ml de água morna
  • 1 saqueta de 4,6 g de fermento seco de padeiro de acção rápida (ver notas para outras opções)
  • 1,5 colher de chá de sal fino
  • 2 colheres de chá de açúcar
  • farinha extra para polvilhar

UTENSÍLIOS:

  • taça grande
  • panela de ferro fundido de 22 ou 24 cm de diâmetro com tampa (ver notas para outras opções)

Confecção:

  1. Misture todos os ingredientes secos numa taça. Envolva a água morna, pouco a pouco até estar tudo ligado.
  2. Polvilhe com um pouco de farinha, cubra com película e deixe levedar para o dobro (a massa irá crescer e ficar cheia de buraquinhos).
  3. Quando a massa estiver praticamente levedada, ligue o forno a 220º C e coloque no interior a panela vazia, sem tampa, para aquecer.
  4. Forre uma taça com papel vegetal enfarinhado e transfira a massa levedada para lá. Polvilhe com mais um pouco de farinha.
  5. Quando a panela de ferro estiver bem quente, retire-a do forno e transfira o papel com a massa para a panela quente. Coloque a tampa (atenção se a pega for de plástico retire-a) e coza durante 45 minutos.
  6. Passado esse tempo, retire a tampa, aumente a temperatura do forno para 240º C, e coza destapado durante mais 15 minutos para dourar bem e ficar com uma côdea bem estaladiça.
  7. Retire a panela do forno e retire o pão do seu interior. Deixe arrefecer quase totalmente antes de o abrir.

Notas:

  • Se não tiver uma panela de ferro use uma panela de alumínio ou um recipiente de barro redondo. Há quem faça com panela de inox ou uma taça de Pyrex com tampa e diz ter bons resultados.
  • Se não tiver fermento seco de acção rápida use o fermento seco de padeiro normal (diluir o fermento e o açúcar num pouco da água morninha, esperar 10 minutos até borbulhar e juntar aos restantes ingredientes) ou o  fermento fresco de padeiro (esfarele 15 g, junte o açúcar e um pouco água morninha para o desfazer e junte aos restantes ingredientes).

Outras informações:

  • Este pão mantém-se fresco durante vários dias.
  • Versão com massa-mãe (ver texto do artigo)

138 comentários para “Pão Rústico Rápido <br> (sem amassar)”

  1. cara clara de sousa, muito obrigado pela sua sugestao em fazer pao rustico em casa era mesmo disto que eu precisava, vou fazer ate porque eu tenho um certo gosto pela cozinha, mais uma vez o meu origado.

    1. É super fácil João. Se quiser também pode deixá-lo levedar dentro da panela fria e cozer até sem tampa. O bom deste pão é que resulta sempre muito bem, mas deixe sempre levedar bem da primeira vez pelo menos.

  2. Olá Clara de Sousa, muito boa tarde e muito obrigada pelo esclarecimento. Vou experimentar a receita já no próximo fim-de-semana.

    Aproveito para dar feedback – ontem fiz a receita dos pães de leite, que publicou, e ficaram óptimos, lindos e muito saborosos (Como nunca tinha feito, e não tendo experiência com massas levedas, optei por acrescentar a água toda, ou seja, os 100 ml).

    Muito obrigada, um beijinho e até logo, às 20.00h :))
    Luísa

    1. Que bom, mas vai começar a fazer mais vezes e vai começar a “entender” o ponto das massas. No caso do pão rústico rápido não se tende, é só misturar. Não estranhe, é essa a beleza deste pão 🙂 Beijinho e até amanhã, que hoje não serei eu 😉

      1. Bom dia cara Clara de Sousa,
        Fiz o pão e ficou lindo, denso e consistente…um belo pão.

        Regressei aqui aos comentários porque cometi o mesmo erro de uma outra comentadora, com o sal – em lugar de sal fino (ou refinado), usei o que tinha à mão – sal grosso – , o que se configurou mais difícil de percepcionar (a tal colher rasa), e a medida foi ultrapassada, notando-se um pouco no produto final. A receita diz sal fino, e tem mesmo que se medir em sal fino, ou então ter muito cuidado.

        Como pode ser útil para outros seguidores do site, se me permite, aproveito também para referir que:
        – Não tenho panela de ferro, nem de alumínio, pelo que usei uma simples e barata forma de bolo, de alumínio, com 22 cm de diâmetro e 10 de altura.
        – Improvisei uma tampa de inox, do meu trem de cozinha, até maior que a forma (Não usei a panela de inox, porque a Clara aconselhou a não fazer);
        – Por não querer arriscar falhar no fermento e como tinha apenas saquetas de 11 gr, dupliquei a dose. Fiz dois pães;
        – Também só tinha metade de um pacote de farinha T65, pelo que usei o resto em T55 (sem fermento claro, pelo menos isto foi a rigor 🙂 );
        – O meu forno como é ventilado, coloquei a uma temperatura de 220 graus, por 40 minutos, mais 10 sem tampa (nesta altura reduzi a temperatura para 200 graus).
        Ficaram perfeitos para o meu gosto, assim com uma cor de linhaça dourada.

        E é tudo daqui de casa. Para quem nunca comenta, 3 comentários numa semana é um record absoluto 🙂
        De facto este seu site entusiasma, porque é muito mais que um site de receitas. Não posso sair daqui sem a parabenizar pela partilha que publicou sobre o Folar de Carnes da Filhagosa. Este é um site de memórias, de cheiros e sabores…da exaltação da cultura e tradição de um povo que é único no mundo – Nós!

        Bem haja Clara!
        Um beijinho e obrigada ( E cumprimentos ao senhor seu pai. A dica das ervas aromáticas foi muito útil. Não fazia a menor ideia. Percebi o porquê de não ter grande sorte nos meus “plantios”… A sabedoria dos nossos mais crescidos que vale ouro…)
        Luísa

        1. Olá Luisa. A cozinha é mesmo isto, é adaptação e descoberta. Decisão e encontrar de soluções. Agora que encontrou uma forma de o fazer bem, já sabe que nunca lhe correrá mal. Está perfeito. Eu já fiz de várias formas, até já fiz com pyrex e ficou óptimo. Ultimamente até o tenho deixado levedar um pouco depois de o despejar no tacho frio e vai ao forno e até cresce mais um pouco. Fica sempre bem 🙂 Que bom que gostou e que bom que comenta. Comente sempre que sentir que o deve fazer. Sobre as aromáticas, estamos em Novembro e eu ainda tenho coentros 🙂 a partir de agora vai ficar mais difícil, mas eles ali estão rijos 😉 Um beijinho grande e muito obrigada!

          1. Olá Clara fiz o pão como ensinou. Usei farinha com centeio e ficou uma delicia. Obrigada pela dica. Comecei a fazer quando ensinou na primeira fase do Covid e continuo a fazer.

  3. Bom dia Clara de Sousa,
    Aproveito para mencionar que gosto imenso deste seu site e de todas as suas dicas, que são de facto fantásticas.
    Uma pergunta apenas, porque fiquei com dúvidas, o fermento de acção rápida que usou, de 4,6 gr por saqueta, equivale ao fermento de padeiro seco normal (de outra marca) de 11 gr por saqueta?
    Isto é, posso usar a saqueta inteira de fermento seco normal?

    Obrigada, e continue a publicar estas receitas maravilhosas. São muitíssimo úteis.
    Luísa

    1. Olá Luisa, não. 4,6 corresponde a 4,6. 11 equivale a 11. Nos secos é igual só que o de acção rápida não precisa de ser activado, pode ser logo misturado com os secos. Se usasse fermento fresco aí teria de usar 15 gramas, por regra é mais ou menos 3 vezes mais do que o seco, a menos que se queira uma fermentação mais lenta e aí pode ser só o dobro.

        1. Olá Clara. Fiz esta sua receita com uma ‘invenção de massa mãe’ 🙂 da última vez que fiz o pão rústico guardei uma porção da massa já lêveda e guardei no frio. Na vez seguinte que fiz pão em vez de colocar o fermento seco usei a massa que havia guardado anteriormente. Funcionou lindamente apesar de demorar mais tempo a levedar. Tentei replicar a técnica que tantas vezes vi usar à minha avó sempre que cozia pão, aquela porção de massa que circulava de casa em casa para cozer aquele pão delicioso. Beijinhos

          1. Sim fica óptima, também já fiz, só leva mesmo mais tempo. O problema para mim é que tenho fases em que eu e a massa-mãe nos damos muito bem, mas quando chega a altura de fazer uma dietazinha e parar com o pão já não dá para a alimentar e chateamo-nos (lol). Se fizer pelo menos uma vez por semana vale bem a pena mantê-la e ter pães tão saborosos 🙂

  4. Bom dia, Clara: (desculpe a intimidade do tratamento, mas a entrar todos os dias cá em casa, já faz parte da família) tenho feito algumas das suas receitas: o folar de Filhagosa, o ensopado de borrego e agora ultimamente o seu pão rústico sem amassar…Todas 5 estrelas.Só que neste último, tive o seguinte problema: ficou com a crosta muito queimada….! Passo a explicar: segui todos os passos, panela de ferro, papel vegetal com bastante farinha, 45m a 220 graus e + 15m no máximo. O meu forno é eléctrico e tem as duas opções: “normal” e “ventilado/turbo” Será que vou ter de alterar os tempos de cozedura? Obrigada e parabéns pelos ensinamentos.

    1. Olá Celeste. Que bom que tem funcionado a seu gosto. Quanto ao pão deve ter o forno muito quente, pode estar desregulado. Se queima baixe um pouco a temperatura e fique de olho a partir dos 45. Qd tiver a cor que pretende retira. Basta adaptar. É fácil. É um pão tão bom que vale mesmo a pena acertar 🙂

  5. Obrigada! Vou corrigir. Aqui somos só 3. O pão ficou pronto no domingo à tarde e ontem à noite já era! 🙂 tenho de fazer mais.

  6. Olá Clara!
    Que maravilha e que pena só agora ter experimentado! Fiz com o pyrex com tampa e ficou óptimo. Tão fácil de fazer para o resultado obtido que nem acredito. Só com esta quarentena comecei a seguir e a experimentar as receitas (uma das coisas boas que esta situação horrível nos trouxe). A primeira foi na Páscoa com a perna de perú no forno ; ) mas agora já não vou deixar de andar por aqui, assim o tempo o permita. No pão rústico só tive a dúvida se devia usar 1 pacote do fermento de padeiro em pó que tem 11 g e não 4,5 g mas percebi que deveria ser isso pelo outro ser possivelmente mais concentrado e normalmente o outro é 1 pacotinho para 500 g de farinha mais coisa menos coisa. Correu lindamente! também só agora percebi que a Clara usa a ventilação e eu não a liguei… mas ficou com o aspecto igual ao seu. Muito Obrigada. Saúde para todos!

    1. Olá Elsa, que bom que se sente em casa e se identifica. E que bom que esse pão ficou top. Fica mesmo. 😉 Em relação ao fermento é sempre 4,6 g, só tem de o activar antes, como explico, até começar a borbulhar, mas não vale a pena usar tanto. Lembre-se sempre disto: um pacote de 11 gramas dá para 1 quilo de farinha. Aqui usamos meio quilo. Não precisa de usar fermento a mais porque pode interferir no sabor e até fazer com que o bolo seque mais depressa. Em relação ao forno eu uso sempre a ventilação, mas o importante é que funcionou! Beijinho e obrigada!

  7. Olá querida Clara!
    Já tinha pesquisado imenso, mas nunca tinha arriscado executar este tipo de receita. Aqui, uma vez ou outra, cozemos pão em forno de lenha.
    Resolvi seguir a sua receita porque tem imensas dicas e isso transmitiu-me confiança!
    Fiz num tacho de cerâmica que utilizo para suflê. Resultou! E como diz, o cheirinho espalha-se pela casa!
    Obrigada!

  8. Boa tarde, Clara
    Eu não sei aonde comprar o fermento que usa. Tenho utilizado fermento Condi e fermento com vitamina D, mas é capaz de não ser a mesma coisa. Há o Vahiné que me parece idêntico ao seu, mas também não encontro aonde comprar online.
    Por favor ajude-me a fazer melhor.
    Obrigada

    1. Odete eu penso que essa marca Condi também tem fermento seco de padeiro. A marca não interessa. Se for fermento seco de padeiro qualquer uma serve. Penso que a Condi é igual à Fermipan, tem de activar antes, é o fermento seco normal, explico tudo no texto do artigo. A Vahiné tem este de acção rápida, mas no final vai dar tudo ao mesmo. Leia o artigo que explico tudo.

  9. Fernanda Maria da Costa

    Bom dia Clara. Gosto imenso das suas receitas e guardo-as todas. Adoro este pão, mas só ainda não o fiz porque ainda está a ser dificil arranjar o fermento. Tenho farinha já pronta própria para pão, será que se eu fizer da mesma forma, vai sair bem? Obrigada, tenha uma boa semana. Bjs

    1. Maria do carmo Marques das neves

      Ola clara bon dia
      Sendo eu filha de padeiro
      Vendo pão todos os dias
      Mas gosto de esprimentar outro pão sempre
      Adoro o cheiro de quando está a sair do forno .seja pão ou bolos caseiro
      Vendo o pão de padaria mas compro para vender
      Mas gosto de fazer para mim
      É outro sabor
      Obrigada pelas receitas
      Pão português é päo

  10. Olá Clarinha estive a fazer o seu pãozinho mas esqueci-me de por o açúcar agora vou ver como é que ele fica adoro as suas dicas beijinhos

  11. FERNANDA TRINDADE

    BOA TARDE. PÃO DOCE : 500 grs. FARINHA SEM FERMENTO. 500ml. LEITE(uso sempre sem lactose, mas qualquer um serve desde que meio-gordo). 500 grs. AÇÚCAR MASCAVADO DO MAIS ESCURO. 1 c.c. fermento royal 1 c.c. canela bem cheia. 100 grs. passas uva e 150 grs. nozes partidas à mão.

    NUMA TAÇA POMOS A FARINHA, A CANELA O AÇÚCAR, MEXE-SE E ACRESCENTAM-SE AS PASSAS E AS NOZES. (também costumo por uma pitada de sal c/ a ponta dos dedos). LEVA-SE O LEITE AO LUME COM O AÇÚCAR PARA DISSOLVER BEM (deve ficar + ou – a ferver, é assim mesmo).
    DEITA-SE O LEITE C/ O AÇÚCAR NA MISTURA DA FARINHA MEXE-SE BEM ATÉ INCORPORAR TOTALMENTE, DEITA-SE NUMA FORMA DE BOLO INGLÊS UNTADA E FORRADA. LEVA-SE A COZEREM FORNO PRÉVIAMENTE AQUECIDO. FAZENDO O TESTE DO PALITO PARA SABER DO PONTO DE COZEDURA. A minha forma tem 30 x 8 cm. Se quiser fazer mais peq. por causa da forma reduza as quantidades respeitando as números ex. 5-5-5 ou 3-3-3. lamento mas não sei como enviar foto. sou autodidata nestas coisas da net. Espero que goste.

  12. FERNANDA TRINDADE

    OLÁ. SAÍ DA CEBOLA E VIM PARA O PÃO. VAI UMA RECEITA? NÃO INVENTEI É DO RUDOLPH VAN VEEN.
    PÃO DOCE PARA O PEQUENO ALMOÇO. QUER?

  13. Olá Clara, experimentei a receita do pão rustico… fiz em tacho de barro , ficou lindo 😉
    mas a quantidade de sal indicada na receita é ….1,5 colher de chá de sal (será uma colher e meia de sal? ou é só meia? ) eu coloquei uma colher e meia e ficou muito salgado 🙂
    beijinho e obrigada

    1. Nina, 1,5 sim. É uma colher e meia de chá. Se fosse meia eu teria colocado 0,5. Mas a questão é, qual é a sua colher de chá? Se encher a colher fica com que peso? Por regra uma colher de chá corresponde a 5 gramas. Rasa. Mesmo assim não faz mal, use menos quando voltar a fazer Nina, acerte ao seu gosto e nunca mais falha. 🙂 É um pão excelente 🙂

      1. Ana Maria Silva

        Os pães estão lindos mas sou intolerante ao gluten. Gostava que um dia destes nos apresentasse um lindo pão sem gluten.
        É um desafio q. Lhe deixo

        1. Ana, já houve uma seguidora que fez este pão com farinha sem glúten e ficou fantástico. Ela disse-me que usou a farinha Mix B da Schar e que juntou um pouco de goma shantana e um pouco de azeite. É uma questão de testar.

  14. Clara, muitos parabéns pela sua receita de pão rústico! Simplesmente, ficou um bocadinho agarrado nas laterais do papel vegetal. Devo untar o papel, para evitar que volte a acontecer?
    Ana Santos

    1. Pode untar Ana, ou carregar mais na farinha da base. Isso tem a ver com as dobras do papel que se metem na massa ou cola mesmo à face lisa da massa?

  15. maria clara lima

    Clara
    Receita super facil e resultado MUITO BOM esta do seu pão.
    Utilizo a máquina de fazer pão e foi lá que o fiz.
    Tudo na cuba como fez na sua taça. Programa Super Rápido (demora 1hora,ele amassa, leveda e coze).
    Ficou um super PÃO e excelente textura, apenas deixei mais 30 minutos no programa cozer
    para ficar mais tostadinho.
    BOM, BOM, BOM
    Obrigada
    Maria Clara Lima

  16. Olá Clara,

    Fiz esta receita e resultou muito bem 🙂 Todas as suas receitas têm sido um GRANDE sucesso cá em casa
    Um beijinho e obrigada
    Joana

    1. Fantástico Joana. 🙂 Pode variar com outras farinhas, mas mantenha sempre metade de trigo branca para eles crescerem bem. Tente com integral, ou espelta, resulta também muito bem.

      1. Muito bom!!
        Crocante e fofinho. Obrigada pela receita, Clara de Sousa
        Irei fazer muitas vezes, este pão rústico.
        Abraço,
        Isabel Ribeiro

    2. Bom dia, fiz o seu pão, mas o meu ficou com muito cheiro a até sabor do fermento fresco. Qual o erro aqui que eu possa ter cometido?
      Fiz tudo como explicou
      Obrigada

          1. O fermento fresco tem sempre um cheiro mais intenso do que o seco. Não sei o que possa ter acontecido. Deixou levedar bem? Durante quanto tempo, lembra-se? No próximo pode reduzir para 10g, vai demorar um pouco mais mas ficará menos intenso esse sabor. Eu uso muito pouco do fresco, porque se me esqueço dele azeda. Será que o seu já estava a azedar?

          2. Clara, os meus parabéns pela simplicidade e facilidade desta receita de pão!!! Fiz com 300g de farinha de trigo e 200g de espelta integral e ficou excelente!!! Compacto é super saboroso!!! Ah e experimentei no pirex com tampa e funcionou lindamente!!! Ficou perfeito!!! Obrigada ☺️

          3. É um pão maravilhoso e com Pyrex a funcionar melhor ainda porque facilita a vida de quem não tem a panela 😉 Vai ver que independentemente das farinhas que usar vai correr sempre bem. Obrigada Cristina!

  17. Eduarda Parreira

    Olá Clara , já fiz o a receita do pão rústico e amei . Saiu bem logo a primeira. Já tinha tentado outras e não deu muito certo. Obrigada pela receita. Já postei no face e vários amigos me pediram para partilhar a receita . O que fiz imediatamente.
    Vou experimentar outras certamente.
    Beijinhos

    1. Fez muito bem Eduarda. O que queremos é boas receitas, simples, que possam ser feitas por quem tem mais e menos experiência 🙂 esta é uma delas! Obrigada!

  18. Ola clara de sousa obrigada pela receita que estou a fazer agora, meti fermento fresco de padeiro 22 gramas espero que esteja bem .beijinhos para si e muito obrigada pelas receitas maravilhosas que partilha com todos nos.

    1. Olá Maria Helena, para este pão só precisaria de 15g. Da próxima meta menos do que agora. Espero que lhe corra muito bem 🙂 beijinho!

      1. Obrigada por me ter respondido , ficou optimo ja fiz outro hoje a minha filha e marido adoraram. Beijinhos e adoro vela no téléjournal, estou em Paris a viver e a sic e a nossa companhia .

      2. Olá Clara,
        Fiz a receita sem sal, nem açúcar e em panela de alumínio tapada com papel de alumínio (pois é super antiga e já não existe tampa) – eis que resultou, ficou muito fofo e saboroso!!
        Por estes lados estamos fãs! Receita fácil, descomplicada e deliciosa, tanto no cheiro como no paladar.
        Continuação de bons cozinhados! Cuide-se!

        1. Olá Sandra, o açúcar é apenas uma ajuda para o fermento, mas pode não ser usado porque o fermento se estiver vivo acaba sempre por funcionar mesmo que leve um pouco mais de tempo. Mas o sal é mesmo uma opção sua. Gosta de pão sem sal ou é por uma questão de saúde?

          1. Sandra Maria Piteira de Barros e Mateus

            Olá Clara,
            A questão do sal é uma questão de saúde. A minha mãe não pode comer sal, mas por norma come pão (todo o belo português gosta de pão!) e é bastante difícil de controlar a quantidade de sal do pão que se compra. No supermercado ainda conseguimos ver quantidades de sal nas etiquetas, mas no café/padaria nem sabem responder. Esta receita é tão simples, que se torna ideal para qualquer pessoa, até para os mais preguiçosos! Cá em casa ficámos fãs da sua receita, já fizemos inclusivamente com farinha integral – teve apenas de levar mais água até ficar na consistência da massa do pão rústico.
            Cozinho há muitos anos, uma paixão desde os 10 anos, mas pão nunca me tinha aventurado a fazer! Obrigada por me ensinar algo diferente e tão delicioso!

          2. Sim Sandra, a água pode ter de ser reforçada nomeadamente com a T55. Mas ganhando a mão à massa corre sempre bem. 🙂 fico feliz por esta receita ser perfeita para si. Muito obrigada!!!

  19. Isabel ferreira

    Boa noite D. Clara fiz hoje o pão rústico uma maravilha e nada difícil, mas devo ter feito alguma coisa menos bem pq o papel vegetal ficou agarrado ao pão, qual terá sido o erro?
    Obrigada pelas receitas que publica!!!

    1. Olá Isabel! Tem acontecido com algumas pessoas. Eu penso que não estarão a polvilhar o papel vegetal com farinha suficiente. Da próxima vez polvilhe mesmo bem. Em alternativa talhem pode pincelar o papel vegetal com um pouco de óleo, azeite ou manteiga.

  20. Ana Maria Carvalho

    Boa tarde Dra Clara,
    As receitas da sua autoria são há anos um sucesso em minha casa!
    A última que experimentei, a do pão rústico, ficará a fazer parte da minha mesa! Resultou uma maravilha.
    Agradecida por ter partilhado.
    Beijinhos,
    Ana Maria

  21. Bos tarde Clara. Adorri o seu pão. Como fez com a massa mãe? Retirou a massa de algum pão anterior que fez e como a continua a alimentar?
    Muito obrigado e bem haja.

    1. Olá Daniel, alimento sim. Deixo 200g da anterior. Coloco o mesmo peso de água e o dobro do peso de farinha. Se for para usar no dia a seguir deixo à temperatura ambiente, se for para usar mais tarde mantenho no frigorifico.

          1. Olá Clara. Já fiz o seu pão muitas vezes e fica delicioso, (eu adoro pão ). Será que também posso usar farinha de alfarroba com farinha de trigo? Obrigado

          2. Pode sim Daniel, uma pequena quantidade, tipo 50 g. Já sabe que a de alfarroba absorve mais água e é mais pesada, mas no meu FB já partilharam um assim e ficou fantástico.

      1. Olá!
        Adoro o seu site! É muito familiar e, ao mesmo tempo, muito inovador e inspirador.
        Faço pão com muita frequência, mas nunca tive sorte com a massa-mãe.
        Alimenta a massa-mãe todos os dias?
        Se sim, qual a quantidade de água e farinha?

        Outra questão: tem alguma receita para hamburgers caseiras vegetarianas?

        Obrigada!

        1. Olá Rosa! Na fase inicial (1ª semana) sim mas depois conservo no frio e alimento uma vez por semana. Cerca de 100 g mais ou menos. Prefiro usar volume a peso. Igual volume de água e farinha. Gosto de começar com centeio biológico foi o que me deu melhores resultados. Neste momento não tenho vídeo nem artigo sobre o assunto mas conto fazê-lo depois de voltar de férias. Sobre receitas vegetarianas tem algumas no site. Basta procurar na secção nem carne nem peixe. Obrigada! 🙂

  22. Lucinda oliveira

    Boa noite é quero-l’heure agradecer pela maravilhosa receita ja hoje fiz 2 ficaram lindos é facil é muito Bom
    Agora agradecia se poder me dizer como se faz Massa mae deseijo um dia feliz

  23. Boa tarde Clara, fiz o pão com centeio e coloquei 100g de farinha de trigo. Ficou muito muito bom. Obrigada pela partilha, beijinhos

  24. Olá Clara, feliz dia da Mãe!

    Quero lhe dizer quanto a admiro,pelo seu gosto pela culinária, eu adoro cozinhar.

    Um abraço,

    Irene Grácio

  25. Olá Clara, este parece ainda mais fácil do que os outros pães já fáceis que partilhou como o de cerveja e o de soda. Como passa diretamente da tigela para a panela não precisa de “amassos” que é o que assusta mais para quem não tem experiência.
    Espero não matar o fermento, coitadinho… Obrigada e bom dia da mãe!

    1. Cláudia, quando coloca o dedo na água para verificar a temperatura tem de estar só morninha, se estiver quente tem de deixar arrefecer. Se tiver um termómetro veja. 40 ºC é a temperatura ideal.

      1. Olá Clara, gosto muito das suas receitas e tenho feito muitas dos livros que já publicou. Desta vez fiz o pão de cerveja, ficou tão bom!
        Amanhã, vou fazer o pão sem amassar, vou ver como fica. Beijinhos.

          1. Clara, o pão ficou muito saboroso, crocante por fora e fofinho por dentro! Uma delícia! Obrigada pela partilha, beijinhos

  26. Fizemos hoje com 300g de farinha T55 e 200g de farinha integral e ficou ma-ra-vi-lho-so! Saiu do forno há algumas horas e já só resta 1/4 do pão! Obrigada por esta e por todas as receitas fantásticas que partilha connosco 🙂

  27. Olá Clara, boa tarde!
    Antes de mais, desejo um bom fim de semana. Sou uma seguidora das suas receitas e tenho feito o pão de panela que partilhou! Tenho uma dúvida, gostaria de experimentar com outras farinhas só não sei se o processo seria o mesmo (uma vez que algumas já trazem fermento, sal, açúcar…)!
    Obrigada e um beijinho,
    Fátima Flores
    (Braga)

    1. Olá Joana, as que têm fermento são as pré-preparadas para pão. As outras, se trazem fermento, são as farinhas para bolos, com fermento em pó, não de padeiro, não são farinhas para pão. E nenhuma, sem serem essas pré-preparadas tem sal ou açúcar. São todas farinhas lisas, chamemos-lhe assim. Pode testar com trigo integral, espelta, kamut, vá testando, mas mantenha sempre uma parte maior de trigo para crescer.

  28. Obrigada Clara pela partilha. ❤️
    Passei por aqui para lhe dar os parabéns, pela publicação, no YouTube, com a tradução em inglês. Gostei muito.
    Beijinhos

    1. Olá Ana! Não faça apenas centeio, faça meio-meio. Só centeio ficará mais pesado, é normal. Os pães de centeio que compramos também têm trigo.

    2. Olá Clara mais uma vez, fiz e ficou óptimo… até parece que faço pão desde pequenina. Até já fiz com alfarroba, colocando apenas 50g.
      Agora estava a pensar experimentar com milho: metade milho/metade trigo, é indiferente usar farinha ou sêmola de milho? Obrigada mais uma vez,

      1. Olá Cláudia. Com milho não aconselho metade. Acho que deve fazer um terço. O resto pode ser trigo e espelta se não quiser fazer tudo com trigo. O milho pesa muito.

  29. Olá Clara!
    Obrigada mais uma vez pela partilha destas receitas sempre maravilhosas.
    Vivo em Londres, infelizmente temos tido muita dificuldade em arranjar farinha… mas, ontem consegui um pacote de 1Kg e fui imediatamente fazer esta receita de pão rústico! Ficou excelente, para além de dar muito conforto trouxe um bocadinho de Portugal até cá.
    A partilha neste momento ainda se torna mais importante, agora que as saudades são muitas e a distância nos separa dos nossos. Obriagada!
    Beijinhos

    1. É mesmo Ana! Um pão caseiro leva-nos sempre a casa 🙂 que chatice isto das farinhas e dos fermentos. Eu por causa das coisas só compro sacos de 5 kgs 😉 e vou gastando em pães e no resto. O que comprei no outro dia já vai a meio, porque também ando a alimentar a massa-mãe 🙂 Um beijinho.

  30. Natália Estêvão da Silva Serra

    Bom dia, eu tenho tentado varias receitas e o meu pao fica sempre muito maciço, nao sei se me faço entender (pesado). O meu forno tem vários desenhos e nao sei se sera o programa certo para pao qual é o símbolo do forno correto para o pão?
    Obrigado

  31. Olá boa noite.Adoro fazer pão ,e esta receita é ótima!..só tenho a dúvida em relação ao forno!..Vai a cozer só com a resistência de baixo ligada ,ou com a de baixo e a de cima?Obrigada

    1. Não é aconselhável fazer pão com a farinha para bolos, mas na falta pode testar e perceber se precisa de mais um pouco de água, veja como fica a minha massa depois de misturada e consiga que a sua fique igual. Mas para futuro em pães use sempre a T65 Teresa. 🙂

  32. Boa noite Clara! O fermento normal que refere pode ser o clássico da royal ou tem de ser fermento de padeiro?
    Muito obrigada pelas receitas e dicas maravilhosas por aqui e pela agradável companhia à hora de jantar.

    1. O fermento da Royal é para bolos não é para pães de massa lêveda. Para pães de massa lêveda é sempre fermento de padeiro Sofia. Pode ser o de acção rápida ou o normal que precisa de ser activado antes, tal como refiro na receita. Ou em alternativa também pode usar do fresco. Explico como fazer com cada um deles na receita 😉

    1. Maria do céu santos

      Boa tarde Clara, acabei de fazer o pão rústico, é mesmo delicioso, só tive um senão, não consegui tirar o papel vegetal, mesmo com farinha ficou muito agarrado ao pao, tirando esse pormenor, é dos melhores que já fiz. Obrigada pelas receitas. Um beijinho

      1. Olá Céu, ficou? Oh mas rasga-se. A mim nunca me aconteceu, se calhar tem de meter mais farinha no papel vegetal. De qualquer forma o importante é que tenha gostado 😉 Beijinho e obrigada!

        1. Não é Ana, mas há quem tenha feito e diga que até correu bem. Não sei. Se usar tem de juntar um pouco mais de água. Mas o ideal é a T65 sem fermento.

        1. Estes pães preferem a T65, é menos refinada. Não digo que não use, se é só essa que tem, mas tente encontrar a T65 para futuros pães que queira fazer porque é muito melhor. Em relação à água, penso que neste caso não será necessário, mas faça assim. Veja como ficou a textura da minha massa e não junte a água toda, para ir vendo. Se tiver necessidade de acrescentar um nadinha, acrescenta, mas vá por fases, a olho, para ver se a massa fica igual 🙂 tem de ficar com uma massa mole e peganhenta.

      1. Olá! Não faço a menor ideia de quanto levará um pão a levedar. Estamos a falar de perto de meia hora, uma hora, 15 minutos?… Quero avaliar quanto tempo levará no total. Obrigada!

        1. Olá Tânia, não sei se leu o artigo mas eu refiro que no meu caso levou hora e meia, pode levar mais ou menos depende da temperatura do local onde está. No tempo frio leveda mais devagar, no tempo quente mais depressa. Pode usar o truque do forno como disse. Só um calorzinho e mete lá dentro. Não pense em tempo, pense em verificação visual. Quando cresce para mais do dobro e quando a massa está cheia de buraquinhos está pronta. Leia o meu artigo e veja as fotos para ter uma memória visual de como deve ficar.

        1. Obrigada pela atenção.Eu também usava sempre o ventilado…mas comprei um forno novo em que as funções ventiladas são só com as duas resistências ou o grill.My mistake !Agora é fazer experiências por tentativa/erro.Bjnho e bom fim de semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.