Nesta fase de isolamento social e maior presença em casa, em que tantos optam por fazer o próprio pão, dei por mim a pensar fazer um pão que não desse trabalho quase nenhum, que não precisasse de demasiado tempo de espera, e que fosse super saboroso e com um aspecto 5 estrelas.

Sabemos com está em voga o pão de aspecto rústico que não precisa de ser amassado.

Só por aí já é perfeito… só que muitas receitas pedem um dia de descanso, o que faz sentido, porque o pão ali fica, a trabalhar sozinho, a desenvolver sabores mais profundos… e nós, de facto, não temos trabalho, a não ser misturar os ingredientes e, no final, metê-lo no forno.

Mas para já, queria um que fosse semelhante, mas que não exigisse tanto tempo de espera. Não é de facto pelo trabalho, é mesmo só o tempo de espera e às vezes queremos um bom pão para “o quanto antes” e não dá para esperar 24 horas.

O método base é igual a todos os outros tradicionais: farinha, fermento, açúcar, água e sal.

Apenas 5 ingredientes… e não precisamos de ser especialistas em fazer pão para termos um pão maravilhoso!

Nesta receita, para ser ainda mais simples e rápido, uso fermento seco de padeiro de acção rápida. A diferença em relação ao normal é que este não precisa de ser activado antes. Podemos misturá-lo logo com os restantes ingredientes e ele actua rapidamente.

Se não tiverem este de acção rápida usem o fermento de padeiro seco normal ou até o fresco.

Se usarem o normal diluem o fermento e o açúcar num pouco da água morninha – atenção para não a terem muito quente para não matarem o fermento. Esperam 10 minutos. Se borbulhar é sinal de que o fermento está vivo e já o podem juntar aos restantes ingredientes.

Se usarem fermento fresco terão de usar 15 g. Esfarelam-no, juntam o açúcar e um pouco água morninha para o desfazer e depois já o podem juntar aos restantes ingredientes e seguir o restante processo.

Quanto tempo demorou? 5 minutos a misturar tudo? Que maravilha!

Agora é deixar a levedar num local quentinho, sem correntes de ar. Este levou hora e meia a crescer assim, mas também podem aquecer ligeiramente o forno, não mais de 40 graus, desligar e meter lá dentro a taça com a massa coberta. Vai levedar muito bem.

Depois de levedar, a massa vai estar muito húmida e peganhenta, não vai dar para moldar, mas não se preocupem, é mesmo assim.

Só temos de a cozer numa panela de ferro fundido com tampa – atenção que a tampa não pode ter pega de plástico. Se tiver retirem, é o que eu faço. Para este pão, uso uma panela média de 22 a 24 cm de diâmetro.

Não têm uma panela de ferro fundido? Não faz mal. Podem usar uma panela de alumínio ou um recipiente de barro redondo. Não aconselho as panelas de inox porque o inox não é um bom condutor de calor, mas há quem faça e diga que tem bons resultados. Também me dizem que funciona com uma taça de Pyrex, daquelas com tampa. Eu não testei, mas já vi imagens de pães feitos no Pyrex e com excelente aspecto.

Vejam o que têm em casa que possa funcionar, e usem. Para mim, já sabem… tendo panelas de ferro é o que uso, porque concentram muito mais calor do que as outras, dando um choque térmico mais acentuado de que o pão precisa.

Depois de cozer tapado retiramos a tampa…

E coze durante mais 15 minutos a uma temperatura ainda mais elevada, para ganhar esta cor incrível.

Como sabemos se o pão está mesmo bem cozido? É muito fácil… batemos na base do pão e se fizer um som oco está no ponto.

O cheiro a pão fresco acabado de cozer é incrível e a nossa cozinha fica inundada com este aroma maravilhoso.

Mas esperem… não vale abrir já já… pão quente sim, também adoro, mas esperem uns 15 minutos a meia hora até cortarem a primeira fatia. O pão agradece. E nós também.

Aqui no site tenho outros pães. A Baguete Rústica dá mais trabalho do que este mas fica também incrível… e há outros pães que podem descobrir AQUI.

ADENDA (sábado 2 de Maio):

Como me dizem que não encontram fermento, fiz finalmente esta receita com massa-mãe.

Usei 300g de massa-mãe em substituição do fermento de padeiro – uma quantidade generosa para não correr riscos – e não mexi na quantidade dos restantes ingredientes. Cobri e meti num local quentinho e lá ficou durante 3 horas – demora bastante mais a levedar do que com fermento industrial.

O pão ficou óptimo na mesma como podem ver pela foto. Ficou um pão um pouco maior do que o original, devido à quantidade de massa-mãe.