Muito bem apurados, graças ao refogado de bacon e alho, estes caracóis são a receita que vão querer guardar e fazer vezes sem conta.

Os caracóis são um dos petiscos mais apreciados na época do Verão a par do marisco e bivalves… e servidos com cervejas frescas ou vinho branco gelado são do melhor que se pode pedir.

A verdade é que se uns adoram caracóis, outros odeiam, porque sentem nojo do bichinho e da sua baba viscosa, vá… vou dizê-lo sem rodeios: têm nojo da ranhoca toda que libertam e não suportam comer rastejantes.

Entendo perfeitamente, apesar de adorar caracóis. Caracóis e caracoletas. Gosto muito, quando são bem feitos.

Este pequeno molusco gastrópode terrestre de concha espiralada calcária, de características únicas, é o protagonista da receita desta semana.

Os meus favoritos são os caracóis riscados maiores que são muitas vezes confundidos com caracoletas, mas não são. São só maiores do que os pequenitos que pouco têm que comer.

Esta é a forma como os faço e por isso são os Caracóis da Clarinha. 😋

Como preparar os caracóis?

Se apanharem os caracóis numa horta por exemplo, preparem uma lata onde os possam colocar sem que consigam fugir ou um saco de rede de malha apertada, e deixem-nos num local arejado, sem comer, durante 5 dias.

Não se preocupem, porque eles não morrem. Estão só a jejuar.

Se os comprarem nos saquinhos de quilo no supermercado já não têm de ter essa preocupação. Podem passar logo para a lavagem.

Tudo depende da sujidade, mas enquanto a água sair castanha eu continuo a lavá-los – por regra 3 águas costumam chegar, mas se forem menos ou mais tudo bem.

Só depois uso a técnica de “desbabagem” se é que posso chamar-lhe assim.

Espalho uma boa mão cheia de sal sobre os caracóis – ou duas, depende da quantidade – porque o sal obriga-os a largar mais baba. Deixo-os na salga durante pelo menos meia hora, garantindo que não conseguem fugir [e acreditem, eles vão sempre tentar] e depois volto a lavá-los muito bem até ficarem bem limpos.

Desta forma evito o processo de ter de andar a retirar espuma com a escumadeira durante a cozedura.

Lembram-se da música?

Já cantava a Amália sobre os caracóis…

São caracóis, são caracolitos
São os espanhóis, são espanholitos
São os espanholitos, são os espanhóis
São caracolitos, são os caracóis

…e que tinha ido a Espanha comer toucinho assado no molho dos caracóis.

Ai um dia fui a Espanha
Comi lá com os espanhóis
Toucinho assado no espeto
No molho dos caracóis

Durante anos tentei apurar o molho dos caracóis, carregando nos caldos Knorr, nas ervas e deixando ferver durante muito tempo, adicionando tudo à água, no tacho, depois de os caracóis já estarem mortos.

Mas certo dia decidi fazer de forma diferente usando dois tachos: um para dar o primeiro tratamento aos caracóis, com a água a aquecer devagarinho para morrerem fora da casca, e um segundo tacho para fazer um bom refogado e finalizar o processo.

Resultou na perfeição!

É aqui que a magia dos sabores verdadeiramente começa – puxo bem pelo sabor do bacon e do alho (com casca sempre) para garantir um molho muito mais saboroso do que se apenas o adicionasse à água.

Não uso demasiada água, para ter um molho mais concentrado. Encho apenas até ao nível dos caracóis… um pouquinho mais abaixo. Chega e sobra.

E acrescento todos os temperos, inclusive os orégãos que coloco dentro de uma gaze porque não gosto de os ver a boiar no molho. Prefiro um molho liso, mas cheio de sabor.

Depois de cozerem, opto sempre por deixá-los dentro do tacho até ficarem mornos e só então os sirvo. Esse tempo vai permitir que os caracóis apurem mais um pouco.

Tenho mesmo de usar Knorr?

Hoje em dia estes caldos já têm opções mais saudáveis, mas se não querem mesmo usar, o melhor é reforçarem o refogado com mais bacon e alho e deixar puxar bem antes de juntarem os caracóis.

A vossa receita é muito diferente?

Digam-me como fazem. Partilhem mais abaixo na caixa de comentários para que toda a comunidade do site possa conhecer a vossa técnica.

Querem a receita escrita com todos os pormenores da confecção?

Então desçam mais um pouco. A receita está logo depois do video e até a podem imprimir se quiserem!

Veja o vídeo desta receita

Subscreva a newsletter e receba as receitas em primeira mão!

tempo de preparação: 1 hora 30 minutos
dificuldade: fácil
doses: 8
Muito bem apurados, graças ao refogado de bacon e alho, estes caracóis são a receita que vão querer guardar e fazer vezes sem conta.

Os Caracóis
da Clarinha

Caracóis destaque site
Muito bem apurados, graças ao refogado de bacon e alho, estes caracóis são a receita que vão querer guardar e fazer vezes sem conta.
tempo de preparação: 1 hora 30 minutos
dificuldade: fácil
doses: 8

Ingredientes:

  • 2 kg de caracóis (de qualquer tamanho)
  • 1 fio de azeite
  • 100 gr bacon em pedacinhos
  • Meia cabeça de alhos (6 a 8 unidades)
  • 2 folhas de louro (pequenas)
  • 1 caldo Knorr de galinha
  • Uma mão cheia de orégãos
  • 1 malagueta (opcional)
  • sal q.b.

UTENSÍLIOS:

  • gaze para embrulhar orégãos

Confecção:

  1. Se apanhar os caracóis no campo deixe-os a jejuar durante 5 dias num local arejado, de onde não consigam fugir.
  2. Lave os caracóis em várias águas até a água sair limpa.
  3. Espalhe uma mão bem cheia de sal grosso sobre os caracóis lavados para os obrigar a libertar o máximo de baba possível. Deixe-os ficar assim durante pelo menos meia hora – pode ser mais tempo. Cubra o recipiente com tampa ou grade para não fugirem.
  4. Lave-os bem para retirar toda a baba extra e coloque-os num tacho com água, quase até cobrir. Não use qualquer tempero nesta fase.
  5. Tape o tacho e leve a lume muito brando para os obrigar a sair da casca. Não mexa para não os assustar. Eles irão morrer ainda antes de a água começar a fervilhar – mantenha-se atento. Quando vir que estão mortos ainda crus, desligue o lume.
  6. Noutro tacho, num fio de azeite refogue o bacon, com os alhos esmagados com pele e as folhas de louro. Faça um refogado bem puxado sem deixar queimar.
  7. Verta um pouco da água da cozedura dos caracóis para deglacear o tacho, libertando todos os pedacinhos de bacon que se colaram no fundo, e só depois junte os caracóis com a água.
  8. Junte o caldo Knorr, a malagueta partida em pedaços, a gaze com os orégãos e uma mão mal cheia de sal grosso. Quando levantar fervura, baixe o lume, tape o tacho e cozinhe durante 20 minutos.
  9. Terminado o tempo, prove o caldo e confirme que está no ponto certo de sal.
  10. Tape e deixe os caracóis descansar no molho até amornar.
  11. Sirva os caracóis mornos ou à temperatura ambiente.

Notas:

  • se não quiser usar caldo Knorr use mais bacon, alho e orégãos.
  • Pode aromatizar com tomilho, poejo, casca de limão ou de laranja.

Outras informações:

8 comentários para “Os Caracóis <br> da Clarinha”

  1. Fernanda Policarpo

    Adorei a receita! Depois de lavados cozia os com cerveja e um pouco de toucinho/ presunto .
    Ontem experimentei a sua e fiquei fã!

  2. ADORO CARACÓIS ! JÁ COMI SÓ 2 VEZES ESTE ANO ! SOU DO NORTE – SENHORA da HORA . FELIZMENTE TEMOS PERTO DA NOSSA CASA QUEM OS FAZ MUITO BEM ! ACTUALMENTE EU E O MEU COMPANHEIRO TEMOS UM PEQUENO PROBLEMA ; congelado temos um belo de um POLVO mas não sei como o cozinhar ! Precisava de uma BOA RECEITA para o cozinhar de forma a ficar super saboroso, com BOM SABOR E SEM FICAR DURO ! SERÁ QUE A AMIGA CLARA( para mim é uma AMIGA há muito tempo) quando fosse possível enviar uma ? AGRADEÇO

      1. Bom dia Clara, experimente adicionar aos orégãos uns pezinhos de poejos alentejanos. Se gostar desse tempero vai ver que enriquece a receita de caracol. Tb à que deixe um casquinha de limão. Bons cozindaos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.