À portuguesa as coisas são simples e boas!

Um bom refogado com produtos frescos, refrescado com vinho branco. Só isto. Mais nada. É a base que lhe vai dar todo o sabor.

Há receitas que optam por polpa de tomate, mas acho que a opção por tomates maduros é muito melhor. Afinal, o que é que custa retirar a pele a uns tomates? Um corte em cruz, água a ferver por cima até a pele rachar… e pronto, sai tudo de uma vez.

Depois de tudo picadinho, e das moelas limpas de gorduras – os corações não precisam que se faça nada – temos tudo pronto para avançar. Podem juntar fígados, rins, todos os miúdos de que mais gostarem.

O processo de preparação é relativamente rápido, mas os miúdos precisam de tempo para ficarem cozidos na perfeição. Em lume brando, no molho denso que lhe vai dar todo o sabor. Tudo bem apurado.

Não precisamos do truque da farinha para engrossar o molho porque ele próprio vai ficar no ponto ao fim de 40 minutos.

Vamos lá?

Querem picar ou é mesmo para jantar?