Delicadas mini pavlovas cobertas com molho de morango são o remate perfeito para uma refeição para celebrar o dia dos namorados.

A Pavlova é uma sobremesa delicada que assusta muita gente que pensa que é super complicada, mas não.

Há pormenores a ter atenção, é verdade… mas se lerem bem a receita podem ver que não é nada do outro mundo.

É fundamental terem um merengue forte e brilhante.

O formato é redondo – convém desenhar no papel vegetal um círculo – e o topo deve ser ligeiramente alisado mantendo-se um pouco côncavo para que, depois de cozidas, as pavlovas suportem bem o chantilly e as frutas que vão receber.

A partir daqui é só forno e tempos de espera para que arrefeçam. Nada de mais…

Estas mini pavlovas são perfeitas para encerrar um jantar a dois, nomeadamente o do Dia dos Namorados.

Esta foi a receita do Menu de 2016, a par dos Pimentos Padron com Requeijão e Presunto, de entrada, e dos Filetes Enrolados com legumes em Cama de Batata Doce, como prato principal.

A Pavlova tem de ser feita com alguma antecedência para estar firme no exterior e pronta a receber a cobertura na hora. E isso é positivo para um dia como este, porque é menos trabalho e stress para quem está a preparar a refeição.

E que tal? Vão fazer?

Para mim, há poucas sobremesas tão sexy como esta… mas se quiserem pesquisar por outras soluções de sobremesa tenho várias opções na secção DIA DOS NAMORADOS.

Veja o vídeo desta receita no meu canal

tempo de preparação: 25 minutos + tempo de arrefecimento
tempo de forno: 25 minutos
tempo total: 50 minutos + tempo de arrefecimento
dificuldade: fácil
doses: 2
Delicadas mini pavlovas cobertas com molho de morango são o remate perfeito para uma refeição para celebrar o dia dos namorados.

Mini Pavlova
com Molho de Morango

destaque
Delicadas mini pavlovas cobertas com molho de morango são o remate perfeito para uma refeição para celebrar o dia dos namorados.
tempo de preparação: 25 minutos + tempo de arrefecimento
tempo de forno: 25 minutos
dificuldade: fácil
doses: 2

Ingredientes:

MERENGUE
  • 1 Clara
  • 50 g de açúcar
  • ¼ colher de chá de farinha maisena
  • ¼ colher de chá de vinagre de vinho branco
  • ¼ colher de chá de extracto de baunilha
COBERTURA
  • 100 ml de natas para bater
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • frutos vermelhos e/ou silvestres q.b.
  • açúcar em pó q.b.

UTENSÍLIOS:

  • batedeira eléctrica
  • tabuleiro forrado com papel vegetal
  • triturador

Confecção:

Merengue:
  1. Ligue o forno a 180º C.
  2. Bata a clara em castelo. Quando estiver quase firme junte a pouco e pouco o açúcar, deixando envolver bem antes de adicionar mais e sem nunca parar de bater. Depois de esgotar o açúcar continue a bater até o merengue ficar bem robusto e brilhante.
  3. Sem parar de bater, junte a maisena, o vinagre e o extracto de baunilha até estar tudo envolvido.
  4. Com um copo ou uma taça pequena de suflê desenhe dois círculos com cerca de 8 a 9 cm de diâmetro numa folha de papel vegetal. Vire a folha, para que o merengue não entre em contacto com a tinta. Coloque um pouco de merengue nas pontas do papel para fixar ao tabuleiro. O papel não é untado.
  5. Faça dois montinhos de merengue dentro dos círculos, e alise ligeiramente o topo, afundando um pouco com as costas de uma colher.
  6. Coloque os merengues no forno, baixe imediatamente a temperatura para 140º C e deixe cozer durante 25 minutos. Depois, desligue o forno e deixe o merengue no interior durante mais 30 minutos, com o forno desligado.
  7. Depois de frias, retire-as do papel vegetal com a ajuda de uma espátula e coloque-as no prato de servir. Como estalam com facilidade, faça este trabalho com “dedinhos de lã”.
Cobertura:
  1. Bata as natas, que devem estar bem frias. Quando engrossarem, junte o açúcar e continue a bater até ter um chantilly firme.
  2. Triture muito bem alguns frutos vermelhos para o molho sem adicionar qualquer açúcar – neste caso não fiz o ‘coulis’ tradicional, que vai ao lume com um pouco de açúcar. Preferi o molho de morango ao natural em cru.
  3. Na hora de servir, cubra cada pavlova com uma colherada de chantilly. Distribua alguma fruta fresca por cima (pedaços de morango, mirtilos, amoras, physalis, ou outros). Regue com um pouco de molho de morango e polvilhe com açúcar em pó.

Notas:

  • A textura perfeita da pavlova é uma camada de suspiro seco no exterior e um interior mal cozido e macio.
  • Junte aos morangos da cobertura alguns mirtilos ou amoras ou phisalis, para um contraste ainda mais belo no aspecto e no sabor (doce/ácido).
  • Se optar por uma pavlova maior (4 claras), coza durante 1h 30m a 120º C (tendo o forno pré-aquecido a 180º C e baixando para 120º C assim que o merengue entra no forno). Após a hora e meia, desligue o forno e deixe o merengue arrefecer totalmente no seu interior. Coloque a cobertura de chantilly e frutas só na hora de servir.

Outras informações:

2 comentários para “Mini Pavlova <br> com Molho de Morango”

  1. Olá Clara eu faço muitas vezes a pavlova quase sempre para oferecer ficam bonitas mas depois racham sempre é normal??
    Se me poder dar uma indicação agradeço também já fiz o arroz doce que maravilha bjns e bom domingo obrigado

    1. Olá Otília. Acontece sim, a pavlova é tão delicada que qualquer coisinha a pode fazer rachar. O importante é não ter o papel untado para ela ser obrigada a crescer para cima. Deixá-la sempre descansar até arrefecer dentro do forno para ficar com uma crosta mais dura, e só colocar a cobertura depois de fria. Em alternativa pode deixar cozer mais um pouco, mais 15 minutos. Pode dar-se o caso de o seu forno não estar totalmente regulado e estar a cozer a uma temperatura inferior àquela que mostra no visor. Também pode dar-se o caso de racharem por terem um choque de temperatura mais alto e aí seria necessário baixar um pouco. Mas só com um termómetro de forno pode retirar a dúvida sobre se o problema é da temperatura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.