Para fazer o melhor guacamole só precisamos de 5 ingredientes bem frescos. Serve-se com chips de tortilhas de milho.

Se a vida te der limões faz limonada…

e se te der abacates faz guacamole!

Sou como sabem uma fã da cozinha do mundo e, sempre que posso, gosto de servir sabores de outros continentes e de ir a restaurantes onde possa explorar a comida de outros povos.

Aqui no meu site encontram várias receitas de Húmus, ou o famoso Baba Ghanoush, ou esta sobremesa da África do Sul, ou estes embrulhos tão típicos de países da Europa Central e de Leste, ou bebidas com muito salero com a Margarita, o Mojito ou o Rum Punch. Já para não falar das receitas italianas como este maravilho Tiramisù.

Adoro a nossa cozinha, sou uma grande defensora dos benefícios da Dieta Mediterrânica, mas neste campo, gosto de explorar e de experimentar.

Sendo uma apreciadora incondicional do abacate – que uso muito em saladas – tenho no Guacamole uma das minhas entradas de eleição, sobretudo no tempo quente, que é quando me sabe melhor.

Vejam bem de perto esta beleza!

Quais os ingredientes do Guacamole?

Eu uso apenas cinco ingredientes, além do sal e pimenta:

  • abacate maduro – é a grande estrela desta receita e deve estar maduro, mas ainda firme. A polpa é retirada e esmagada grosseiramente. Quem prefira um guacamole muito macio pode optar por triturar.
  • tomate – os tomates ideais para esta receita são firmes para serem cortados em cubinhos. Os chucha ou os de rama são perfeitos. As sementes devem ser retiradas com uma colher.
  • cebola – há algum debate sobre o tipo de cebola a usar, se branca, se vermelha. Com o tempo acabei por optar pela branca porque não é tão intensa e não se sobrepõe aos outros sabores.
  • sumo de lima – é fundamental a acidez da lima não apenas no sabor como para travar a oxidação do abacate. Na falta pode usar-se limão.
  • coentros – se adoram coentros como eu, podem usar uma mão bem cheia. Se não gostam, podem substituir por salsa.
  • Sal e pimenta – sal é fundamental e deve ser adicionado o suficiente para ter um guacamole bem equilibrado. Prova-se e acerta-se até ficar no ponto. Um toque de pimenta preta ajuda à la fiesta!

E os jalapeños? E o alho?

Esses pimentos, tão usados na culinária mexicana, só se juntam se quiserem um guacamole picante, caso contrário não usem. Durante muito tempo costumava pôr um pouco de tabasco, mas acabei a preferir o guacamole sem qualquer picante. Façam ao vosso gosto.

Tal como o alho. Há quem goste de juntar um pouco, bem picadinhos, mas a minha evolução na relação com o guacamole levou-me a prescindir do alho que, usado em cru, se sobrepõe aos restantes elementos.

Pronto em 15 minutos (ou menos)

Abrimos os abacates, retiramos o caroço e a casca.

Esmagamos esta polpa com um garfo e envolvemos o sumo de lima para impedir a oxidação.

SUGESTÃO: Podem começar por envolver apenas o sumo de uma lima e evoluir a gosto a partir daí. 

Eu gosto de sentir uma suficiente dose de acidez que desperte os outros sabores e por isso quase sempre – a menos que as limas sejam bem grandes – junto o sumo de uma lima e meia. São mais ou menos 3 colheres de sopa.

Mas vejam como gostam, vão juntando e vão provando que não tem como errar.

Depois, retiramos as sementes ao tomate. Não as queremos no nosso guacamole.

Cortamos o tomate em cubinhos, picamos a cebola e os coentros e está pronto a misturar.

Finalmente, temperamos com sal e pimenta, provando e acertando a gosto. Nem de menos nem de mais. É só isto!

Ah… e não se esqueçam das chips de tortilhas de milho. Fazem toda a diferença se for para servir o guacamole como entrada.

Onde está a receita?

Está um pouco mais abaixo, logo depois do video, e até a podem imprimir.

Posso fazer com antecedência?

Sim! Idealmente algumas horas antes, se bem que há quem diga que, muito bem protegido, o guacamole suporta até dois dias até começar a mostrar sinais de oxidação.

Não digo que não, mas do que não tenho dúvidas é que o melhor guacamole, o mais fresco, o mais vibrante, o mais verde é o que é feito no dia em que é consumido. Algumas horas no frio não fazem diferença, mas deve cobrir-se com película bem encostada ao creme para travar ao máximo o contacto com o ar.

Adoram guacamole e vão fazer?

Partilhem experiências, comentem, deixem sugestões e se partilharem esta receita no Instagram não se esqueçam do hashtag #claradesousa_cozinha_bricolage

Veja o vídeo desta receita

Subscreva e comece a receber as newsletters em primeira mão

tempo de preparação: 15 minutos
dificuldade: Fácil
doses: 4
Para fazer o melhor guacamole só precisamos de 5 ingredientes bem frescos. Serve-se com chips de tortilhas de milho.

Guacamole

Guacamole destaque site
Para fazer o melhor guacamole só precisamos de 5 ingredientes bem frescos. Serve-se com chips de tortilhas de milho.
tempo de preparação: 15 minutos
dificuldade: Fácil
doses: 4

Ingredientes:

  • 2 abacates
  • 1 tomate
  • ½ cebola branca
  • 1 mão bem cheia de coentros picados
  • sumo de 1,5 limas
  • sal e pimenta preta q.b.

UTENSÍLIOS:

Confecção:

  1. Abra os abacates, retire-lhes o caroço e descarte a pele.
  2. Esmague os abacates grosseiramente com um garfo (triture se preferir um guacamole muito cremoso).
  3. Envolva o sumo de lima para evitar que a polpa escureça.
  4. Retire as sementes ao tomate e corte-o em cubinhos, pique a cebola finamente e os coentros grosseiramente. Envolva tudo no abacate esmagado.
  5. Tempere com sal e pimenta a gosto e sirva com chips de tortilha de milho.

Notas:

  • o guacamole deve estar muito bem temperado com sumo de lima, sal e pimenta. Acerte os sabores provando e melhorando a gosto
  • a acidez da lima atrasa a oxidação da polpa do abacate
  • se não tiver lima use limão
  • se fizer o guacamole com algumas horas de antecedência, cubra-o com película aderente bem encostada ao creme e guarde no frigorífico até à hora de servir
  • pode adicionar picante a gosto se gosta de guacamole picante
  • pode triturar o abacate se gosta de guacamole cremoso

Outras informações:

4 comentários para “Guacamole”

  1. Fiz a sua receita de guacamole. Ficou uma delicia e foi elogiada por todos os comensais. De resto, todas as suas receitas, que fiz até agora, saíram bem e fazem parte da dieta na minha casa. Bem haja pela partilha.

  2. Conceição Jacinto

    Boa Tarde Clara de Sousa,
    Desta vez, não preciso copiar a receita porque já faço assim.
    Só acrescento malagueta vermelha bem picadinha, com ou sem sementes consoante os comensais.
    Aproveito a ocasião para agradecer a sua partilha e a nitidez com que elabora as receitas.
    Já adotei várias receitas suas sem pôr em causa os direitos de autor.
    Quando as minhas filhas pedem algo que não seja habitual cozinhar, e também gostamos de diversas comidas do mundo, a primeira coisa a fazer è espreitar o seu site e sai sempre bem.
    Recomendo o seu site a quem quer que seja que goste de comer comida bem feita.
    Muitas vezes, na difícil, tarefa de educar, para quem se preze de ser mãe, dou como exemplo o seu relato de como estendia a massa da tarte de maçã e de como o foco e a persistência em fazer bem feito, seja em que tipo de atividade for, se revelam importantes para a formação da nossa maneira de encarar a vida e se revelarem fundamentais no desempenho de , mais uma vez, qualquer tipo de profissão. O foco e o gosto em fazer bem feito, se incutidos desde cedo, acabam por se tornar naturais e elevar a qualidade pessoal e profissional para níveis de excelência, como é claramente, o seu caso.
    Bem Haja, pela influência. De fato, uma verdadeira “influencer”.

    1. Obrigada Conceição. Esse foco é mesmo fundamental e ser ensinado desde cedo é meio caminho. O resto depende de outros factores. Mas eu penso assim tb 🙂 um beijinho!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.