Um clássico vintage de boa memória, este frango fica muito macio com um molho cremoso e sabor a manteiga e limão.

Este clássico francês era muito comum na mesa dos portugueses na década de 80, mas caiu em desuso.

É uma pena, porque é uma receita deliciosa, barata e de fácil confecção que satisfaz adultos e crianças com a sua cremosidade e o seu sabor rico a manteiga e limão.

A carne fica muito macia, a desfazer-se.

Lembro-me de a minha mãe fazer regularmente este Frango de Fricassé acompanhado com puré de batata. Para mim é uma memória de conforto.

Esta receita é a que está numa das teleculinárias do Chefe Silva, mas fiz uma dose um pouco maior porque este frango “desaparece” e na minha cabeça ainda ecoa o conselho da minha mãe: “Antes sobrar do que faltar”.

Na época era comum o uso do caldo knorr e, entretanto, ao longo dos últimos anos, gerou-se um grande debate sobre a qualidade destes caldos e o facto de não serem muito saudáveis por causa das substâncias intensificadoras de sabor, como o glutamato monossódico, guanilato e inosinato dissódicos.

Hoje em dia já encontramos caldos natura e bio que não têm estas substâncias e que podem ser uma boa opção.

Se mesmo assim não os usam, e não fazem caldos caseiros, usem apenas água.  Tal como refiro na receita, o seu uso é opcional.

Se nunca experimentaram, experimentem, porque este é um clássico que vale a pena.

Subscreva a newsletter e receba as receitas em primeira mão!

Veja o vídeo desta receita no meu canal

tempo de preparação: 40 a 50 minutos
dificuldade: fácil
doses: 4 a 6
Um clássico vintage de boa memória, este frango fica muito macio com um molho cremoso e sabor a manteiga e limão.

Frango
de Fricassé

fricasse destaqueee
Um clássico vintage de boa memória, este frango fica muito macio com um molho cremoso e sabor a manteiga e limão.
tempo de preparação: 40 a 50 minutos
dificuldade: fácil
doses: 4 a 6

Ingredientes:

  • 1,5 kg de frango cortado em pedaços
  • 75 g de manteiga
  • 1 cebola grande
  • 150 ml de vinho branco
  • 400 ml de água
  • 1 cubo knorr de galinha (opcional)
  • 3 gemas
  • 1, 5 colheres de sopa farinha
  • 100 ml de sumo de limão
  • sal, pimenta e salsa q.b.

UTENSÍLIOS:

Confecção:

  1. Lave muito bem o frango e seque-o com papel de cozinha. Coloque os pedaços num recipiente e tempere de ambos os lados com sal e pimenta.
  2. Pique a cebola e refogue-a cebola na manteiga. Quando ficar translúcida, ponha em lume forte e distribua os pedaços de frango com a pele para baixo, numa única camada, sem os sobrepor, para dourarem.
  3. Quando dourarem um pouco, vire-os e doure-os do outro lado.
  4. Junte a farinha e o vinho e envolva delicadamente até não se ver farinha seca. Tape e deixe suar durante 1 minuto, sempre em lume forte.
  5. Junte o caldo de galinha (opcional) e a água. Prove e acerte os temperos se necessário. Quando levantar fervura, tape, baixe o lume e cozinhe lentamente durante 30 a 40 minutos, dependendo de a carne ser mais ou menos rija – um frango do campo demora mais tempo a cozer do que o de aviário.
  6. Depois de cozido, retire do lume, destape e deixe arrefecer um pouco.
  7. Desfaça as gemas numa tigela, junte um pouco do caldo já morno e o sumo de limão. Verta sobre a carne e mexa delicadamente. Coloque de novo ao lume. Quando começar a fervilhar junto às paredes do tacho, retire do lume – nesta fase o molho não pode ferver. Polvilhe com salsa picada a gosto.
  8. Sirva de imediato, sobre uma cama de puré de batata ou arroz de manteiga, regue com molho e salpique com mais um pouco de salsa picada.

Notas:

  1. É fundamental colocar os pedaços de frango numa só camada para dourarem – não os sobreponha, use um tacho maior se necessário.
  2. O molho engrossa um pouco, mas mantém alguma fluidez – o objectivo não é ter um molho grosso tipo bechamel.
  3. Para que o molho NÃO TALHE é fundamental que o molho já esteja morno quando fizer a mistura com as gemas e o sumo de limão e é também fundamental que, quando volta ao lume, não ferva. O objectivo é aquecer, não ferver.
  4. Para uma versão sem glúten dispense o caldo Knorr e use farinha maisena.

Outras informações:

10 comentários para “Frango<br>de Fricassé”

  1. Muito obrigada Clara, é sempre bom recordar as receitas das nossas mães principalmente quando nos internacionalizamos de uma maneira que nos vamos esquecendo do bem que se comia em casa dos pais.

    1. Olá Andrea. Com as claras nunca fiz, até porque com o calor cozem e fazem fios brancos no molho. A menos que a sua mãe tenha alguma técnica especial para evitar que isso aconteça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.