A Páscoa é tempo de abundância e de celebração e é a época rainha dos folares.

Portugal é um país com uma riqueza e diversidade enormes – há folares doces e salgados que são obrigatórios neste período, de norte a sul.

Este Folar de Olhão é inconfundível. É também conhecido como Folar de Folhas ou simplesmente Folar Algarvio.

Tradicionalmente a massa é montada por camadas, as tais folhas, com bastante manteiga, açúcar e canela, para manter este folar húmido e bem doce.

Foi assim que o fiz em 2013, tal como manda a tradição, para o partilhar na minha página do facebook.

Mas entretanto, descobri um método que algumas senhoras algarvias aplicam, muitas delas já com longa idade.

Estendem a massa e carregam na manteiga e na mistura de açúcar e canela…

Depois dobram as laterais para o centro e carregam com mais do mesmo…

… e finalmente enrolam.

Ah… e porque a manteiga e o açúcar são a alma deste folar, depois de estarem nas formas ainda levam mais um pouco, tanto em baixo como em cima.

Não é por acaso.

Sem a manteiga em abundância fica um folar seco. Sem o açúcar fica um folar sem doçura. A manteiga e o açúcar são fundamentais para a caramelização.

Achei este processo muito mais simples e rápido e decidi, por isso, experimentá-lo.

Fiz dois folares mais pequenos e usei duas formas de alumínio que tenho em casa – uma delas, na verdade, é uma marmita que tem as dimensões ideais para este folar.

O alumínio é o melhor condutor de calor – não usem inox porque correm o sério risco de ficar com um folar encruado.

Se não tiverem uma forma estreia e alta, usem um tacho de alumínio. Se o tacho for mais largo, façam apenas um folar com uma dimensão maior.

Esta experiência não podia ter corrido melhor.

Os folares sairam perfeitos e foram apreciados por um algarvio conhecedor destes sabores, que já em 2013 me tinha dito que o meu folar lhe lembrava o que a sua avó fazia quando ele era criança.

Verdade Augusto Madureira?

Se o quiserem fazer não cortem na manteiga nem no açúcar. Estamos na Páscoa, estamos em festa, tal como no Natal, esta é uma época em que se cometem alguns excessos, mas há receitas que não aceitam versões light.

Esta é uma delas.

O segredo é apenas comer com moderação.

Tenham uma Páscoa muito feliz!