O Natal está mesmo a chegar e com ele os doces da época.

Já conhecem bem os meus Sonhos de Natal, uma receita que se repete todos os anos, como se fosse a primeira vez, já que os meus filhos são literalmente “loucos” por estes sonhos…

mas este ano decidi apostar numa solução mais semelhante às filhós de abóbora que sempre vi a minha mãe fazer – apesar de ela ser mais fã de sonhos do que de filhós.

As filhós de abóbora que sempre comi eram uma espécie de sonhos, mas mais pequenos e compactos.

Assim são também estes belos fofos, que têm uma massa mais leve ainda do que as filhós. São mais leves e menos calóricos, porque têm muito menos farinha. As calorias a sério só entram se os regarmos com a calda de açúcar… mas pronto, faz parte. 😉

Encontrei esta receita numa teleculinária de Novembro de 1977 e, acreditem, fiquei fã não só da textura e do sabor, mas porque o processo de fritura é muito mais simples. Ficam prontos em cerca de um minuto apenas. Para quem não tenha paciência para assistir à dança prolongada dos sonhos, esta é uma excelente alternativa.

Além disso, estes fofos podem ser feitos com antecedência porque ficam sempre muito frescos e macios. É algo importante, sobretudo quando estamos muito atarefados com todas as receitas de Natal.

Falemos então dos ingredientes destes fofos – os da calda deixo para daqui a pouco.

Abóbora, claro… tenho sempre abóbora congelada e foi a que usei. Além disso, um pouco de farinha, um pouco de açúcar, fermento em pó, ovos e uma laranja.

Depois de cozermos a abóbora em água com sal só temos de a reduzir a puré. Usem um triturador ou uma varinha mágica, e não o passe-vice como é referido na receita original, porque a abóbora fica com muitos fios e no passe-vite é mais difícil reduzir tudo a puré. Triturar é mais rápido e prático. E depois de triturada, esprememo-la dentro de um pano, para retirar toda a água, até ficarmos com uma polpa sequinha como esta.

A partir daqui é tudo super rápido.

Envolvemos todos os ingredientes, à excepção das claras que têm de ser batidas em castelo antes de serem envolvidas na massa. São as claras em castelo que dão leveza a esta massa. Vejam só!

Finalmente aquecemos o óleo e deitamos colheradas de massa, fritando até dourarem. Estes fofos não se viram sozinhos e precisam de uma ajudinha, mas este processo de fritura é mesmo muito rápido.

O resultado é este.

Fiz fofos pequenos, usando uma colher de sobremesa, mas podem fazê-los um pouco maiores.

Mal os retiramos do óleo podemos passá-los logo por açúcar com canela, ou, em alternativa, servir com calda de laranja à parte, para cada um regar a gosto na hora de os comer.

A calda pode ser feita quando a abóbora está a cozer.

Só temos de colocar o açúcar, a água e uma longa casquinha da laranja e deixar ferver durante 4 minutos exactos. É só isso. Fácil.

Depois de pronta, guardamos num recipiente adequado para levar à mesa juntamente com os fofos. Vejam só esta cor linda!!

Na hora da prova, o que temos dentro de cada fofo é uma massa leve e húmida que se desfaz na boca porque é constituída maioritariamente por abóbora.

Gostaram desta sugestão? Espero que sim!

Não se esqueçam de me dizer o que acharam desta receita, se a fizerem no Natal ou noutra qualquer ocasião.

Um beijinho e Feliz Natal para todos!