E assim chegamos a Maio, mês que transporta a Primavera nos braços e que já nos sussurra que o verão está mesmo ao fundo da rua e ao virar da esquina.

Há muito para fazer e desfrutar até lá com os legumes e frutas da estação, mas também com pratos saciantes mas leves como o que vou partilhar hoje convosco.

É no 1º domingo de Maio que se celebra o Dia da Mãe. É uma data que assinalo sempre, enquanto mãe e enquanto filha. Por muito que os anos passem e que já tenham partido os que me deram a vida, irei sempre celebrar a sua memória e os valores que me transmitiram.

Ora, para o Dia da Mãe deste ano tomei a opção de fazer algo muito mais simples do que nos anos anteriores, em que apostei sempre em algo mais elaborado, sobretudo ao nível das sobremesas. Essas receitas estão todas AQUI, no caso de andarem à procura de inspiração para a sobremesa do próximo domingo.

Este ano pensei sobretudo nos mais jovens ou nos menos experientes na cozinha e que queiram fazer a refeição para a mãe sem risco de falharem. É rápida, é fácil, é económica, usa poucos ingredientes, e por isso cada um deles brilha no prato sem se sobreporem uns aos outros.

O que significa “à marinara”?

À marinara, ou no original alla marinara, faz muito provavelmente referência aos marinheiros (it: marinai), uma vez que durante os seus longos dias no mar cozinhavam pratos simples com ingredientes facilmente disponíveis.

Alho, azeite, ervas e tomate são obrigatórios, muito comuns nos pratos italianos, como nos da cozinha mediterrânica em geral.

Devemos usar tomate fresco e não tomate em lata, porque vai tingir todos os outros elementos e não é esse o objectivo.

Esta é uma receita sem molho, apenas com o caldo natural libertado pelos ingredientes durante a preparação. Na hora de envolver o esparguete podemos juntar um pouco da água da cozedura para facilitar, mas só isso, e muito pouca.

Também os mexilhões devem ser frescos, mas nesta receita optei por miolo congelado só para ser mais fácil.

Se optarem por mexilhão fresco com casca, terão de o limpar tal como explico AQUI, e abrir numa frigideira antes de os juntarem à massa no final.

Quais os ingredientes desta receita?

Aqui estão eles.

À excepção do miolo de mexilhão, são ingredientes sempre muito presentes nas nossas cozinhas.

Em alternativa podem usar camarão ou, em última análise, optar por uma versão vegetariana.

Outra nota importante: o parmesão, por regra, não faz parte das receitas alla marinara, mas eu gosto sempre de juntar umas lascas porque adoro massa com parmesão. Por isso o apresento como opcional.

Passo-a-passo

A primeira coisa a fazer é colocar a água com sal a ferver para cozer a massa. Enquanto isso, laminam-se os alhos e cortam-se os tomates em pedaços.

Eu não pelei nem retirei sementes, mas podem fazê-lo – vejam como pelar tomates AQUI – e se preferirem também podem usar tomates-cereja cortados apenas ao meio.

Quando a água começar a ferver, cozemos o esparguete até ficar al dente. 

Vejam na embalagem os intervalos de cozedura e escolham o mais baixo. Por exemplo, se referir que o tempo de cozedura é entre 9 e 11 minutos, cozam apenas 9.

Enquanto a massa coze, douramos ligeiramente o alho, juntamos o miolo de mexilhão, cozinhamos um minuto e só depois juntamos o tomate.

Temperamos com sal e pimenta, envolvemos, tapamos a frigideira e deixamos cozer durante 4 minutos.

Neste período, a massa já cozeu e só temos de a envolver. Se acharem necessário, podem juntar um pouco do caldo da cozedura do esparguete.

Na hora de servir polvilhamos com manjericão e, se gostarmos, um pouco de parmesão.

Posso usar outras aromáticas?

Claro que sim, usem a erva aromática fresca de que mais gostarem. Também podem usar orégãos secos, é muito comum.

Posso usar outra massa?

Sim, usem a que tiverem em casa, pode ser longa ou curta, do tagliatelle ao fusili.

No caso de usarem massa fresca, o tempo de cozedura é menor, mas o objectivo é sempre ficar al dente.

SE GOSTARAM DESTA RECEITA