Aqui está uma comida de conforto para tantos, sobretudo para os que têm raízes alentejanas.

Um belo Ensopado de Borrego, à moda antiga, que é simples e cheio de sabor.

Descobri esta receita pela adorável Antónia de Jesus Nunes Manilhas que a explica tim-tim por tim-tim aqui.

Esta senhora é de um tempo em que as meninas saíam de casa dos pais bem cedo para servir em casa de “senhoras”, das “suas senhoras” como ela diz. Tal como a minha mãe que começou a servir aos 11 anos de idade, a dona Antónia começou ainda mais cedo, aos 8. Algo inimaginável hoje para nós, mas que era uma realidade aceite na época.

Muitas receitas dizem para selar primeiro a carne. Neste caso não. O refogado é feito com vários ingredientes juntos logo no início.

Nesta receita só reduzi a quantidade de batatas e aumentei as doses, porque na verdade esta receita que ela diz ser para 5, dá à vontade para 6.

Além disso acrescentei mais um pouco de pimentão-doce, só um nadinha mais, e juntei o atado de aromáticas mais cedo para libertar mais sabor.

Este Ensopado de Borrego é um prato perfeito para dias mais frios, é um clássico na Páscoa, ou até no Natal, e é tradicionalmente servido sobre fatias de pão frito ou torrado, um pão tradicional de qualidade, alentejano e de véspera, de preferência.

Se gostam de ensopados, não deixem também de experimentar o Ensopado de Vaca e Legumes com Vinho Tinto, semelhante ao famoso Boeuf Bourguignon.

Se preferem uma receita de forno então esta Perna de Borrego Assada com Alho e Alecrim é também uma bela opção.

Apesar das limitações que todos temos, por causa da crise pandémica que nos afasta dos nossos, aguardemos e tenhamos esperança em dias melhores, celebrando este período com o mesmo sentido de partilha.

Desejo a todos uma Santa Páscoa.