Carne e arroz cozem dentro de uma folha de couve-lombarda, num molho bem carregado de tomate. É uma receita típica de países da Europa Central e de Leste.

Este prato nasceu do desafio de uma seguidora do FB que certo dia me perguntou se eu conhecia uns embrulhos de couve recheados com carne e arroz que tinha comido, salvo erro, na Bulgária.

Meti-me à procura e cedo percebi que, apesar de algumas diferenças, é um prato muito comum em vários países da europa central e de leste. O recheio pode levar outros temperos e outros ingredientes: Há quem use porco e vaca, só vaca, só porco, borrego, mas a base é sempre carne e arroz… excepção feita às versões vegetarianas.

Há ainda quem use folhas de videira em vez de folhas de couve-lombarda.

Na Bulgária chama-se “Sarmi.”

Na Polónia é “Gołąbki”.

Roménia e Moldávia têm o seu “Sarmale”.

Na Ucrânia o “Holubtsi”.

Na Hungria já é conhecido com “töltött káposzta”.

Rússia, Bósnia e Herzegovina, Sérvia, Croácia, países nórdicos, Egipto… são muitos os países que têm variações deste prato, tão comum na época de Natal, mas que é comido durante o ano inteiro. Em muitos casos, até serve para aproveitamento de comida do dia anterior que ganha nova vida quando embrulhada na couve.

Mas aqui é tudo feito de raíz e na versão mais simples de todas: carne, arroz, molho de tomate, salsa e um refogado com azeite, cebola e alho. Sal e pimenta. E água, claro.

Comecemos pela couve…

Podemos usar um repolho, uma couve-lombarda, folhas de acelga. Em última análise até couve chinesa.

Cozo as folhas do mesmo modo que faço para as Salsichas Frescas Enroladas em Couve-lombarda, aparando um pouco do talo, para facilitar o manuseamento ao enrolar.

E o recheio?

No recheio, à excepção do refogado, é tudo misturado em cru, porque tudo irá cozinhar depois no tacho.

Optem pelo arroz agulha e por um molho de tomate triturado e temperado que conseguem ainda mais sabor.

Se não quiserem arroz, podem substitui-lo por bulgur ou quinoa, ou até misturá-los.

E o molho?

O molho é feito de água e tomate triturado; é neles que irão cozer estes embrulhos.

Há receitas que usam polpa de tomate. Podem usar se gostarem.

Se não apreciam o sabor da polpa, o meu conselho é que usem qualquer tomate triturado, com ou sem tempero, frito ou simples. Se só tiverem inteiro pelado, triturem-no com a varinha mágica.

Faço muito ou pouco molho?

Acho que é melhor a mais do que a menos, não acham?

Lembrem-se de que o arroz vai absorver muita água ao cozinhar, por isso cubram mesmo bem os rolos com água para conseguirem ter uma boa dose de molho no final. 

Eu quando filmei o video desta receita não cobri totalmente e acabei por ter menos molho do que o que desejava.

Ah… e não se esqueçam de acertar o sal depois de juntarem a água, porque ninguém quer estes embrulhos mal apurados.

No tacho ou no forno?

Eu optei por cozinhar no tacho, mas há quem o faça no forno. Esta versão no tacho acaba por ser mais prática e rápida, mas se fizerem no forno podem usar o tacho ou um tabuleiro.

No tabuleiro, distribuam bem os embrulhos numa só camada, reguem com o tomate e a água, cubram com papel de alumínio e cozinhem a 180º C durante uma hora e meia.

Se optarem por fazer este prato no dia anterior melhor. É daqueles que ganha mais sabor de um dia para o outro. 

O que servir como acompanhamento?

Nada!

Estes embrulhos comem-se só assim, sem acompanhamento, porque têm tudo: carne, arroz e a couve. Um verdadeiro 3 em 1. 

Podem contar com dois, no máximo três, embrulhos por pessoa, mas tudo depende do apetite.

Posso congelar?

Sim, sem dúvida!

Esta receita rende muito e por isso é normal que sobre sempre. Os embrulhos congelam lindamente e continuam com todo o sabor depois de descongelados e aquecidos.

Ficaram com vontade de fazer?

Lembrem-se de que esta receita rende uns 14 a 16 embrulhos – conto com uma colher de sopa generosa de recheio e uma folha inteira por embrulho.

Se não vos apetecer congelar, é fácil reduzir a receita para metade.

Sugestão final (opcional)

Para ter rolinhos com um sabor mais quente, profundo e duradouro – mesmo que diferentes da receita tradicional – experimentem juntar ao recheio um pouco de cominhos em pó. Vai preencher-vos ainda mais as papilas 🙂

Para outras receitas internacionais, deixo-vos algumas sugestões:

 

Veja o vídeo desta receita

Subscreva a newsletter e receba as receitas em primeira mão!

tempo de preparação: 1h 30 minutos
dificuldade: média
rendimento: 14 a 16 embrulhos
Carne e arroz cozem dentro de uma folha de couve-lombarda, num molho bem carregado de tomate. É uma receita típica de países da Europa Central e de Leste.

Embrulhos de Couve
com Carne e Arroz

Embrulho de couve destaque site
Carne e arroz cozem dentro de uma folha de couve-lombarda, num molho bem carregado de tomate. É uma receita típica de países da Europa Central e de Leste.
tempo de preparação: 1h 30 minutos
dificuldade: média
rendimento: 14 a 16 embrulhos

Ingredientes:

  • 1 couve-lombarda
  • 500 g de carne de vaca picada
  • 200 g de arroz agulha
  • 400 ml molho de tomate com tempero (usei de manjericão)
  • 1 mão cheia de salsa picada
  • 1,5 colher de chá de sal
  • Pimenta a gosto
  • Fio de azeite
  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho picados
  • 500 ml de tomate triturado (passata)
  • Água q.b.
  • Sal extra q.b.

UTENSÍLIOS:

  • tacho grande
  • frigideira

Confecção:

  1. Coloque uma panela ao lume com água e sal.
  2. Separe as folhas da couve e lave muito bem. Apare a parte mais saliente do caule.
  3. Quando a água começar a ferver, mergulhe as folhas de couve e cozinhe durante cerca de 10 minutos, até a couve ficar mais macia.
  4. Retire as folhas para uma travessa e deixe arrefecer um pouco.
  5. Enquanto as folhas cozem, refogue a cebola e o alho num pouco de azeite. Depois de pronto, deixe arrefecer.
  6. Prepare o recheio: Coloque numa tigela a carne picada, o refogado de cebola e alho já arrefecido, o arroz, o molho de tomate temperado, o sal, a pimenta e a salsa e envolva tudo à mão – use uma luva preferencialmente.
  7. Retire uma porção de recheio (use uma colher de sopa bem cheia) e coloque sobre a folha, a meio, no topo e enrole dando uma volta, encaixando os lados da couve para dentro (tal como se faz nos crepes chineses) à medida que vai enrolando até ao fim. Coloque sobre um prato mantendo a junção para baixo.
  8. Para cozinhar: coloque 250 ml de tomate triturado na base do tacho e distribua os rolos de couve por cima, sempre com a junção virada para baixo. Verta os restantes 250 ml de tomate triturado e cubra com água a ferver – tem de colocar bastante água até cobrir totalmente os embrulhos. Prove o caldo e acerte o sal.
  9. Tape o tacho e assim que começar a ferver cozinhe durante 40 minutos.
  10. Sirva os embrulhos regados com o próprio molho.

Notas:

  • não cozinhe demasiado as folhas de couve, só até ficarem moldáveis
  • em vez de arroz agulha pode usar quinoa ou bulgur, tudo em cru
  • junte cominhos ao recheio para um sabor extra
  • enrole o recheio com o caule da couve virado para si
  • Pode substituir os 500 ml de tomate triturado por polpa de tomate
  • cubra bem os embrulhos com água e acerte o sal

Outras informações:

14 comentários para “Embrulhos de Couve <br> com Carne e Arroz”

    1. Sim Liliana pode fazer. O arroz integral tem de ser demolhado sempre, senão demora muito tempo a cozer. Deixe em água e um pouco de vinagre durante a noite, como com as leguminosas. Qualquer dia faço um sabia que 😉

  1. Então é assim:
    Fiz hoje as folhas de couve com carne. não sei se lhe diga se lhe conte mas quando as pus na mesa sumiram por encanto, acompanhei com meia-duzia de palitos de batata frita e á carne juntei um pouco de chouriço de porco preto
    Obrigado foi um belissimo almoço
    Fernando Soares

    1. Que bom Fernando, desde que estejam bem apuradinhos estes embrulhos são sempre um sucesso. E acredite, se sobrarem e congelar, ainda ficam mais apurados quando os descongelar para comer 🙂 que bom!!!

  2. Olá, a minha mãe sempre fez esta receita, as vezes fazia já com arroz cozinhado que sobrava do dia anterior, em vez de fazer com salsichas e no meu prefiro também com carne e arroz em vez de salsichas que não aprecio muito.
    obrigada pelas partilhas,
    beijo

  3. Olá, boa tarde fiz hoje para o almoço de domingo os embrulhos de couve e adoramos! Faço muitas das receitas e gostamos sempre. A mousse de Lima nunca falta quando a familia se junta. Tenho todos os livros da Clara a que chamo sempre de Clarinha por gostar tanto. É de pessoas com boa atitude e que nos dão tanto que nós precisamos nesta altura da nossa vida. Agradeço por tudo o que tem feito que nos proporciona tanto prazer ❤️

    1. Ohhhhh muito obrigada Fernanda 🙂 dou e recebo desta forma tão querida 🙂 obrigada! E que bom que gostou. Sobrou? É que congelam muito bem e ganham ainda mais sabor. Que delícia!

  4. Clara , posso dar-lhe uma sugestão. Eu também dava uma fervura nas folhas de couve, foi assim que aprendi com a minha mãe . Mas os tempos mudam e as técnicas também. Agora lavo bem as folhas não as escorro coloco-as num pyrex tapo e levo ao microondas cerca de 5 minutos. Este tempo depende da potência do aparelho. Assim a couve mantém todos os nutrientes e fica macia e para se poder enrolar. Abraço.

    1. Parece-me uma óptima ideia. Até porque a parte de escaldar as couves é o que demora mais tempo. Da próxima vez que fizer irei testar essa sugestão. Muito obrigada!

  5. Olá Clara, gosto muito das suas receitas, esta parece-me deliciosa e fácil de fazer como aliás todas as que publica, as minhas filhas e amigas com quem partilho as suas delícias adoram, explica tudo muito bem, não há como não fazer, eu subscrevo.
    Obrigada e um beijinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.