Desde criança que raras eram as vezes em que faltava sopa para dar início à refeição.

A horta do meu pai sempre foi abundante em legumes e a minha mãe fazia questão de manter a sopa na nossa alimentação.

“Forra o estômago” dizia ela. E com razão.

Forra o estômago, evita que nos atiremos ao prato principal como se não houvesse amanhã, e ao mesmo tempo ajuda a poupar.

Quando o tempo começa a arrefecer lá regresso eu às sopas quentinhas e esta é um must.

Uso ervilhas congeladas…

… e espargos frescos, mas podem optar também por congelados.

Para lhe dar mais sabor, uso caldo de galinha caseiro que costumo guardar para ter sempre disponível.

É muito simples. Quando estou a preparar um frango retiro-lhe algumas peles, as pontas das asas, pescoços, partes com mais ossos, coloco num tacho, cubro com água e deixo a ferver lentamente até ganhar uma boa cor. Não adiciono qualquer sal. Depois congelo em doses de meio litro e uso quando preciso.

Sempre que desmancharem um frango, como explico NESTA DICA, aproveitem a carcaça que sobra para fazer um belo caldo. Bate aos pontos qualquer caldo de compra e nestas sopas verdes, um caldo caseiro como este faz uma grande diferença.

Esta é a prova de que as sopas não têm de ser aborrecidas, sendo perfeitas para bebés, crianças, adolescentes e adultos. Todos a vão adorar.

Com algumas ervilhas e um fio de natas ou crème fraîche, esta sopa tão saudável e deliciosa fica pronta em 30 minutos e conquista logo pelo olhar.

Com os dias mas sobretudo as noites ainda frias, nada como uma sopa bem quentinha para nos aconchegar, não acham?