A receita do chili com carne é muito simples, mais simples do que muitas receitas que foram evoluindo a partir da original.

Comi-a, desta forma, pela primeira vez, no início dos anos 90 numa viagem aos Estados Unidos.

Numa viagem de carro de Nova Iorque para Washington, saímos da autoestrada porque já era hora de almoço e parámos num típico restaurante norte-americano de beira de estrada.

O Chili vinha servido numa taça redonda. Eu olhei para ele e estranhei. Então não tem pimentos? Então não tem milho? Perguntei se costumavam adicioná-los ao chili. Disseram-me que não, que sempre o tinham feito assim. Apenas com cebola, alho, carne picada, tomate, feijões e queijo cheddar, além de mais algumas especiarias. Tudo muito simples, mas muito bom.

Senti-me verdadeiramente reconfortada com aquela taça de chili. Estávamos em Outubro, estava frio, e o calor daquele prato, o calor daquelas especiarias, souberam-me maravilhosamente bem.

Este chili acaba por ser bastante diferente do tradicional chili do Texas – onde o chili é o prato oficial -em que se usa carne em pedaços e não picada, e não tem nem tomate nem feijões.

Mas ao contrário do chili que muitas vezes comemos por cá, esta receita também não leva milho ou pimentos. E é assim que a decidi fazer, tal como a comi naquele dia frio de Outubro numa viagem inesquecível para Washington.

No entanto, o chili é um prato muito versátil e se gostam desses ingredientes é muito simples: basta juntá-los que ficará óptimo também.

Já vi muitas receitas de chili rápidas que ficam prontas em menos de meia hora. Sim é possível, até porque a carne picada fica cozinhada nesse tempo, mas uma cozedura muito lenta durante mais tempo vai desenvolver e aprofundar mais os sabores.

Por isso, sem pressas, aventurem-se e deliciem-se com esta receita que é perfeita para nos aconchegar nestes dias mais frios.

Ah… e sempre acompanhada com um Pão de Milho Doce. A minha receita é super fácil e rápida e fica deliciosa.