Fofas e deliciosas estas Bolas de Berlim são feitas no forno, sem qualquer fritura no óleo, e recheadas com o doce da nossa preferência.

“Olha a Bolinha de Berlim!!!!”

No Verão, não há dia de praia sem tentação, com os vendedores a passarem à frente do nosso nariz, com as suas malas carregadas desta delícia.

Que coisa boa!

A Bola de Berlim faz-me recuar no tempo. Leva-me sempre à adolescência quando saía esfaimada do liceu e não resistia a passar pela pastelaria mais próxima.

Sempre adorei a massa, o recheio de creme de pasteleiro e a textura que me deixava saciada.

Com o passar dos anos, atenta à linha, fui optando por outros bolos, mas os dias de perfeita loucura são dias de bola.

Esta massa é simples mas precisa de tempo para crescer, só assim teremos umas bolas fofas.

No tempo mais frio, para ajudar a massa a crescer, aqueço o forno a 40º C, desligo, e deixo a massa a levedar no interior, sempre coberta. O calorzinho residual fá-la insuflar maravilhosamente.

Só depois disto estão prontas a ir para o forno para cozinharem na perfeição.

Estas Bolas de Berlim feitas no forno evitam a tradicional fritura em óleo, mas nem por isso deixam de ser magníficas. São sempre um sucesso.

Aqui outra vantagem é fazê-las do tamanho que quisermos com o recheio que quisermos, podendo passá-las ou não por açúcar. Eu voto no açúcar, simples ou misturado com canela, mesmo sabendo que não posso abusar, mas um dia não são dias.

Imaginem uma festa de aniversário com todos a acotovelarem-se para ver quem leva a bola. A certeza é que não ficará uma no prato, porque são mesmo irresistíveis.

Para simplificar recheei-as com doce de morango que tinha em casa, um mais liso sem pedaços para ser fácil de rechear sem entupir o bico do saco de pasteleiro, mas se quiserem o mais próximo das tradicionais, é muito fácil fazer-se um creme de pasteleiro. Vejam a minha receita AQUI.

Espero que façam e se deliciem e que partilhem comigo as vossas memórias de conforto com este bolo tão especial.

Veja o vídeo desta receita no meu canal

tempo de preparação: 2 HORAS
dificuldade: Fácil
rendimento: 18
Fofas e deliciosas estas Bolas de Berlim são feitas no forno, sem qualquer fritura no óleo, e recheadas com o doce da nossa preferência.

Bolas de Berlim
de Forno

destaque
Fofas e deliciosas estas Bolas de Berlim são feitas no forno, sem qualquer fritura no óleo, e recheadas com o doce da nossa preferência.
tempo de preparação: 2 HORAS
dificuldade: Fácil
rendimento: 18

Ingredientes:

  • 425 g de farinha T65 para usos culinários
  • 75 g de fécula de batata
  • 75 g de açúcar
  • ½ colher de chá de sal fino
  • 250 ml de leite
  • 11 g de fermento seco de padeiro (fermipan)
  • 70 g de manteiga sem sal, derretida
  • 3 gemas de ovo
Finalização
  • 20 g de manteiga sem sal, derretida
  • Açúcar q.b.
  • Compota sem pedaços, para rechear

UTENSÍLIOS:

  • Rolo da massa
  • Cortador de massa com 6 cm de diâmetro
  • Pincel de cozinha
  • 1 saco de pasteleiro com bico largo
  • 2 tabuleiros de forno forrados com papel vegetal

Confecção:

  1. Amorne ligeiramente o leite e misture o fermento de padeiro e uma colher de chá do açúcar. Mexa e deixe descansar durante 7 minutos. Passado esse tempo o fermento terá inchado e feito bolhas, o que significa que está activo.
  2. Coloque numa tigela grande a farinha de trigo, a fécula de batata, o açúcar e o sal. Misture bem, abra uma cavidade no centro e verta aí a mistura de leite e fermento, a manteiga derretida e as gemas e misture tudo com espátula ou colher de pau.
  3. Amasse à mão dentro da tigela durante 5 minutos. Se a massa se pegar muito às mãos, junte mais um pouco de farinha até descolar.
  4. Cubra a tigela com película aderente e deixe levedar para o dobro. Para acelerar o processo, aqueça o forno até 40ºC, desligue, e coloque no interior a tigela coberta com a película durante cerca de 45 minutos.
  5. Passado esse tempo, coloque a massa sobre a bancada ligeiramente polvilhada com um pouco de farinha e estenda a massa com um rolo até ficar com uma espessura de aproximadamente 1 cm. 
  6. Corte a massa com o cortador redondo e coloque os círculos de massa num tabuleiro com papel vegetal não untado. Cubra com um pano e deixe levedar – pode colocar no forno aquecido a 40º C, já desligado, durante 20 minutos.
  7. Quando os círculos de massa estiverem bem insuflados, para o dobro, leve-os a forno pré-aquecido a 180º C durante cerca de 10 minutos ou até ficarem levemente dourados.
  8. Retire do forno, deixe arrefecer ligeiramente, pincele as bolas ainda quentes com manteiga derretida de todos os lados e passe-as por açúcar.
  9. Faça uma incisão de lado, a meio, com uma faca, o mais profundo possível sem perfurar do outro lado, e recheie com a compota ou creme da sua preferência.

Notas:

  • Em alternativa à fécula de batata, pode usar uma batata  cozida (com o mesmo peso) e bem esmagada, sem grumos.
  • Para rechear use um bico largo e evite compotas com pedaços

Outras informações:

21 comentários para “Bolas de Berlim <br> de Forno”

    1. Olá Margarida. Sim, esta parte da mistura e de amassar pode fazer na Bimby e deixa lá dentro a crescer. Para amassar usa a função espiga.

  1. Se quiser fazer metade da receita é só reduzir proporcionalmente as quantidades? Como faço com o fermento? Ou em alternativa dará para congelar a massa? Obrigada!

    1. Sim Sara coloca metade de tudo inclusive o fermento. Usa só metade da saqueta. Sobre a congelação eu diria que é o mesmo processo da congelação da massa de pão. Neste caso será deixar a massa levedar, depois cortar os círculos de massa e colocar num tabuleiro e congela imediatamente sem deixar levedar a segunda vez. Congela coberto com película ou folha de alumínio. Quando os quiser cozer retira do congelador e deixa descongelar à temperatura ambiente. Depois coloca-os num local mais quentinho para levedarem – pode ligar o forno até aos 40 graus, desliga e coloca o tabuleiro lá dentro para ajudar a levedar. Depois disso só tem de aquecer o forno nos 180° C e cozer.

    1. Irene, para crescerem bem precisam de glúten, mas sim pode fazer e ver se resulta. Acredito que não cresçam tanto mas não use só de arroz faça uma mistura com outra farinha sem glúten que não seja tão fina e pesada como a de arroz.

      1. Bom dia Clara.
        Em alternativa ao fermento seco posso usar o fresco? Aqui na Suíça só encontro o tradicional fermento para bolos. Também pode ser?
        Obrigada

        1. Claro Sara. O fresco é sempre melhor. Uso o seco por ser mais pratico. Só terá de o diluir primeiro. A proporção é cerca de 3 vezes mais. Neste caso use entre 25 a 30 gramas de fermento fresco.

    2. Qual é a função da fécula de batata?
      Estava a pensar se daria para fazer sem usar a batata…em princípio vou fazer só metade da receita.
      Obrigada

        1. Olá Clara, obrigada!
          Ontem experimentei fazer as bolas de berlim, mas a massa não cresceu como a sua. Acho que foi do fermento, será que o leite estava demasiado quente?
          Beijinho

          1. Sofia não sei se a sua mistura espumou tal como mostro no video, mas isso é fundamental. É a garantia de que o fermento está activo. Esse é o erro mais comum feito por quem não tem muita experiência com massas lêvedas. Se aquece muito o líquido mata o fermento. A temperatura ideal é um morninho muito ligeiro. Se sentir quente espera que a temperatura baixe. E confirme também se o fermento está na validade. Tem de experimentar de novo 😉

          2. Exactamente, não espumou como no vídeo. A água estava quente…e também fiquei com dúvidas relativamente à validade. A fécula de batata e o fermento de padeiro já estão na lista de compras. Assim que fizer de novo dou novidades. Obrigada pela sua simpatia e disponibilidade 🙂

    1. Mónica Sofia Barão

      Uau! Cheguei até ao site pela receita de Nutella caseira e agora “dou de caras” com esta fantástica de Bola de Berlim! Humm, – pensei – bola de Berlim recheada com Nutella!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.