Uma bôla rápida e simples com o recheio de que mais gostarmos, ideal para refeições volantes, piqueniques ou festas.

As bôlas de carnes fazem parte da nossa tradição culinária.
Desde criança que me habituei a ver as bolas de carne das minhas tias transmontanas, carregadas de carnes e com um sabor tão especial.

Tenho feito várias bôlas, umas de massa lêveda, outras não, mas esta é sem dúvida a mais simples e rápida, o que a torna ideal para épocas de muito trabalho ou para quando não estamos com tempo ou paciência para fazer as que levam mais tempo.

Esta Bôla é perfeita, por exemplo, para a noite de passagem de ano – cortada em cubos, morna ou fria, é sempre boa.
Também perfeita por exemplo para um almoço volante ou um piquenique.

Esta versão tem mortadela, mas podem usar o que entenderem – salsicha, bacon, presunto, fiambre, chouriço, paio, o que for mais ao vosso gosto. Aconselho no entanto a que cortem as carnes para ser mais fácil ao servir.

Usei tomates que conservo em azeite ao longo do ano, mas o tomate fresco é o ideal já que torna a bola mais suculenta.

O processo é muito simples. A massa é toda feita num liquidificador. No tabuleiro colocamos metade da massa na base, segue-se o recheio e a restante massa por cima. Depois de bem polvilhado com orégãos ou outra erva de que gostem mais…

… vai ao forno até crescer e ficar tostadinha.

Aventurem-se e deliciem-se.
Feliz Ano Novo!

Veja o vídeo desta receita no meu canal

tempo de preparação: 10 minutos
tempo de forno: 30 a 40 minutos
tempo total: 40 a 50 minutos
dificuldade: fácil
doses: 24 fatias
Uma bôla rápida e simples com o recheio de que mais gostarmos, ideal para refeições volantes, piqueniques ou festas.

Bôla de Mortadela
de Liquidificador

destaque
Uma bôla rápida e simples com o recheio de que mais gostarmos, ideal para refeições volantes, piqueniques ou festas.
tempo de preparação: 10 minutos
tempo de forno: 30 a 40 minutos
dificuldade: fácil
doses: 24 fatias

Ingredientes:

  • 4 ovos
  • 225 ml de azeite de sabor suave ou óleo
  • 150 ml de leite
  • 30 g de queijo parmesão ralado
  • 1 ou 2 pés de manjericão
  • 250 g de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 2 tomates grandes picados (sem peles e sem sementes)
  • 250 g de queijo mozzarella (ou outro, tipo flamengo, cortado em tiras)
  • 300 g de mortadela cortada em cubinhos (ou salsicha, bacon, presunto, fiambre, paio, etc cortados em rodelas ou tiras)
  • orégãos secos, sal e pimenta q.b.

UTENSÍLIOS:

  • liquidificador ou varinha mágica

Confecção:

  1. Comece por preparar todos os ingredientes de cortar – tomate, queijo e mortadela – e reserve. Tempere o tomate com um pouco de sal e orégãos.
  2. Coloque no liquidificador os ovos, o azeite ou óleo, o leite, o queijo parmesão, o manjericão (folhas e talos), a farinha de trigo e um pouco de sal e pimenta. Triture bem até obter uma massa homogénea.
  3. Junte o fermento em pó e envolva bem com uma colher.
  4. Unte e enfarinhe um tabuleiro de forno (usei um de 30×23).
  5. Verta metade da massa e alise. Espalhe os cubos de mortadela, depois o tomate picado e finalmente o queijo. Verta a restante massa por cima, alise, polvilhe com orégãos e leve a forno pré-aquecido a 180º C entre 30 a 40 minutos.
  6. Sirva quente ou frio.
 

Notas:

  • É preferível cortar a carne em pedacinhos e não colocar fatias inteiras, para facilitar na hora de cortar para servir.

Outras informações:

Partilhe esta receita nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on pinterest
Pinterest

Veja também...

5 comentários para “Bôla de Mortadela <br> de Liquidificador”

  1. Olá Clara
    Obrigada pela partilha desta receita, experimentei com farinha sem glúten e resulta perfeitamente.
    Usei tomate fresco e paio do lombo, ficou deliciosa.
    Os rapazes cá de casa aprovaram e vai ficar a “nossa” receita de bôla.
    Novamente obrigada!
    Beijinhos

    1. Maria pode ser a que quiser. Eu por regra para este tipo de massa uso a t65 para usos culinários e de facto não referi mas vou corrigir. Sabe… é engraçado. Há uns anos sempre que falava de t65 e t55 as pessoas não estavam habituadas a estas designações e agora elas tornam-se fundamentais para perceber que tipo de farinha que se deve usar. Mostra que têm mais conhecimento e estão atentas. Obrigada e bom ano!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *