Cá estamos ainda com alguns constrangimentos impostos pela pandemia, mas tentando desfrutar do Verão da melhor maneira.

Enquanto não chega Agosto para entrar de férias – já falta pouco – continuo a trabalhar e tento, o mais possível, fazer refeições simples e deliciosas que fiquem prontas rapidamente.

É o caso destes bifes.

Já aqui vos mostrei outras receitas de bifes, como o Bife da Vazia com Molho de Mostarda ou os Bifes com Rúcula e Queijo Roquefort. Outra opção é o Bife com Manteiga de Ervas, Batata Dourada e Espargos, que fica mesmo mesmo espectacular. E esta é mais uma sugestão que dá ainda menos trabalho.

Como sempre escolho bifes da vazia, os meus preferidos, com a grossura de um dedo mindinho, ou um pouco mais…

Como gosto de os deixar assim para o mal passados, prefiro ter sempre esta altura mínima.

Os bifes estão escolhidos, só falta mesmo o molho… certo?

Aqui inspirei-me no famoso molho argentino Chimichurri e é incrível como algo tão simples possa ter um gosto tão rico, com a vantagem acrescida de não precisar de ser cozinhado.

Ao fazer este molho lembrei-me do famoso Molho à Espanhola que durante décadas acompanhava os carapaus que a minha mãe comprava ao sábado na praça e que grelhava religiosamente para o almoço.

Picar, juntar, misturar e já está. Era sempre a primeira coisa a fazer antes de tudo o resto, para poder descansar. Neste faço exactamente o mesmo: descansa uma hora antes de ser usado.

Na Argentina não há uma receita igual, cada família tem a sua e defende-a como sendo a melhor do mundo… e eu, nesta minha incursão pelos sabores do Chimichurri, decidi improvisar um pouco e chamar-lhe o que é: uma vinagreta. Uma vinagreta carregada de ervas, uma vinagreta perfeita para acompanhar um bom naco de carne no churrasco, ou um bom bife feito na frigideira, como é o caso…

Mas, se houver peixe na grelha, acreditem, também fica perfeito.

Encham uma taça com esta vinagreta e passem-na de mão em mão pela mesa para cada um a usar a gosto… e vão ver o sucesso que fará!