Bem-vindos a 2022, o novo ano, ainda condicionados por este maldito vírus, com variantes que aparecem sem pedir licença.

Temos de facto de começar a aprender a lidar com isto, de forma prática, mas também emocional, em nome da nossa sanidade mental.

Para começar o novo ano, e como estou ainda sem espaço para cozinhar, além de ter em mãos os debates para as legislativas, continuo com o tempo contado e tenho de ir ao baú das receitas feitas no ano passado e que estão guardadas para qualquer eventualidade.

É por isso que, consegui aqui um tempinho, para esta semana partilhar convosco uma nova receita.

Simples, pratica e rápida. Gostam disto?

Venham mais uns bifes deliciosos!

É mesmo!

Com sabem, tenho partilhado convosco várias receitas de bifes para poderem ir variando a apresentação, partindo do ingrediente principal: um bom bife da vazia.

Sim… pode ser lombo, pode ser alcatra, pode ser pojadouro, pode ser sete da pá, pode ser o que mais gostarem ou puderem comprar. A minha escolha recai sempre na vazia.

A vazia é uma carne tenra, mas com “personalidade”, é algo que aprecio. Suculenta, macia q.b., muito saborosa. Nunca me falha. É de primeira mas não é o corte mais caro.

E o molho?

O molho é o coração e alma deste prato. É nele que está todo o segredo que justifica o sucesso deste prato.

Da esquerda para a direita seguindo os ponteiros do relógio: sal, pimenta, café de cevada, mostarda de mesa, leite, farinha de trigo, alhos laminados e manteiga (podem usar margarina, mas manteiga é mil vezes melhor).

São estes 8 ingredientes que compõem este molho feito na frigideira e que é levado a um ponto em que não fica demasiado grosso. O objectivo é ter um molho consistente, mas que não solidifique se, por acaso, arrefecer.

Mais abaixo vejam o vídeo da confecção para perceberam a consistência ideal.
Logo depois do vídeo encontram a receita escrita com todos os passos. E até a podem imprimir se quiserem.

Porquê café de cevada?

Porque tem um sabor mais equilibrado.

Testei com café de grão, moído na hora e também com café de cápsula e, mesmo diluído, o sabor do café torna-se demasiado dominante. O de cevada é, sem dúvida, a melhor opção em termos de sabor.

Os bifes da vazia são todos iguais?

Não! Há quem os corte mais grossos e quem os corte mais finos. Escolham sempre bifes com pelo menos um dedo de grossura, para garantir que conseguem um interior rosado depois de os passarem pela frigideira.

Se os conseguirem com uma tira de gordura, ainda melhor. Mais sabor!

Podem deixá-los mal passados ou médio-mal ou médio. Vejam nesta DICA como perceber o ponto dos bifes.

Mais do que isto, já interfere na textura e no sabor, mas bem sei que há pessoas que gostam de carne de vaca bem passada. Não posso dizer-vos para fazerem muito diferente, mas posso aconselhar-vos a, pelo menos, não os deixarem a fritar durante muito tempo.

É preferível fritarem um pouco menos e deixarem descansar. O calor residual acabará por cozinhá-los por dentro sem os deixar demasiado secos. Ficarão mais saborosos, tenros e suculentos.

Têm os bifes, mas preferem outras opções?

Vejam estas que tenho no site:

BIFES DA VAZIA COM MOLHO DE 3 PIMENTAS - Um clássico que não passa de moda e que fica pronto em 15 minutos. O molho de 3 pimentas é perfeito no equilíbrio de sabores e na sedosidade.
BIFES DA VAZIA COM MOLHO DE COGUMELOS - Bifes tenros, cogumelos frescos e um molho ó-tão-simples-e-bom fazem desta receita uma favorita em muitos restaurantes. E o melhor é que a podemos fazer rapidamente em casa.
BIFES COM VINAGRETA DE ALHO E ERVAS - Um bife com molho vinagreta? Sim. É mesmo isso e é delicioso. Esta vinagreta vai maravilhosamente tanto com carne como com peixe.
BIFES DA VAZIA COM MOLHO DE MOSTARDA - Um clássico das brasseries com qualidade de restaurante. Versão simplificada do molho do Café de Paris que faz sucesso por todo o mundo.
BIFE COM RÚCULA E QUEIJO ROQUEFORT - Para um jantar a dois, estes bifes são perfeitos para quem queira um prato delicioso que não exija muito tempo.
BIFE COM MANTEIGA DE ERVAS, BATATA DOURADA E ESPARGOS - Bifes suculentos com manteiga de ervas servidos com espargos verdes e magníficas batatas douradas feitas na frigideira. Perfeito!