Eu adoro os cheiros dos cozinhados que se espalham pela casa, aqueles que levam todos à cozinha para indagar sobre o que estamos a fazer.

No caso do pão o aroma é inconfundível e há poucas coisas tão deliciosas como um pão acabado de sair do forno. Sendo baguete… é o cheiro, é o sabor, é a crosta a estalar. É maravilhoso!

Esta receita é muito simples. Não precisa de máquinas, não precisa de ser amassada, apenas precisa de levar umas voltas.

Depois de a massa levedar uma primeira vez precisamos de moldá-la… e aqui sim, tem técnica.

A massa vai-se dobrando ao meio enquanto se calca com os nós dos dedos. Só depois moldamos num longo charuto.

Para perceberem melhor todo o processo não deixem de assistir ao video que está abaixo.

Como qualquer pão, a massa destas baguetes precisa de tempo para levedar e quanto mais quente o ambiente, mais depressa ela cresce.

Quando faço baguetes uso uma base própria perfurada, mas é apenas um “capricho” já que elas podem perfeitamente ser cozidas num tabuleiro normal sobre papel vegetal.

A crosta que se forma é única, graças ao efeito do choque do gelo com o calor que cria o vapor de água mágico para elas ficarem mega estaladiças, como tanto gostamos.

Se são dos que adoram meter as mãos na massa – literalmente – experimentem fazer estas baguetes, porque é difícil encontrarem tão boas à venda.

São irresistíveis!

Ah!… e por falar em rústico…

Já espreitaram como faço o meu Pão Rústico Rápido que tanto sucesso tem feito, por ser tão fácil e bom? Vão adorar!