“Vais ter de fazer isto mais vezes. A sério! Estão incríveis. São as melhores perninhas de frango que já comi na vida!”

Digam lá se não é o melhor elogio para quem se dedicou a fazer uma refeição que ainda por cima não deu trabalho nenhum? E o R., sem o saber, decidiu o nome desta receita.

Pessoalmente gosto muito de perder algum tempo a fazer receitas mais elaboradas para a família. Gosto mesmo muito de surpreender.

Outras vezes, o tempo é pouco e resolvemos fazer algo mais simples, como é o caso do frango assado, que sendo bom, é mais do mesmo. Mas neste caso… os dois matulões comeram tudo e, mais houvesse, mais teriam comido.

Nos dias seguintes, sempre que apresentava novos pratos, só ouvia: “Está muito bom… mas aquelas perninhas…”

Serão mesmo as melhores?

Aqui por casa todos insistem que sim, por isso deixo agora nas vossas mãos fazerem-nas e deixarem a vossa opinião e avaliação.

Aqui cumpre-se a regra de que as perninhas, tal como as coxas de frango, têm de atingir uma temperatura interna entre  85º C  e 95º C, ao contrário dos peitos que precisam de atingir os 74º C para destruir microorganismos potencialmente perigosos para a saúde. Acima disso ficarão mais secos, por isso aconselho sempre a retirá-los do forno aos 70º C e deixá-los descansar uns 10 minutos, mantendo-os quentes, cobertos, antes de os servir.

No caso das perninhas e coxas, partes com a chamada carne escura, não funciona da mesma forma porque têm uma composição diferente.

A carne escura tem uma quantidade abundante de tecido conjuntivo que se dissolve em gelatina à medida que a carne cozinha, tornando-a suculenta e tenra. Quanto mais tempo cozinhar, mais o tecido conjuntivo se desfaz, resultando numa carne de textura e sabor excepcionais.

No entanto, atenção para não passar dos 98º C porque a partir desse ponto a carne fica fibrosa e perde o sabor a frango.

Estas perninhas que vos mostro aqui chegaram aos 92º C, em forno ventilado a 220º C num total de 30 minutos. Se o vosso forno não for ventilado, terão de deixar mais uns minutos, mas é fácil de controlar se usarem um termómetro para carnes, de que já falei pormenorizadamente NESTA RECEITA.

Quais os ingredientes?

As perninhas de frango e os temperos.

Se não tiverem a mostarda em pó, misturem um pouco de mostarda de mesa ou Dijon no azeite na hora de o juntar às perninhas.

Se não tiverem algumas das ervas aqui apresentadas, podem improvisar com o que houver por casa desde que sejam secas, do tomilho aos orégãos, da salsa ao manjericão, façam as substituições que acharem necessárias.

Passo-a-passo: temperar as perninhas

Num saco ou numa taça juntamos primeiro os secos e massajamos bem.

Só depois adicionamos os molhados. Aqui é apenas o azeite (eventualmente com mostarda se não a tiverem em pó).

Acham que vai ser preciso ficar assim a marinar? Não! Nada disso!

Assar as perninhas

Assim que são temperadas, as perninhas são imediatamente colocadas num tabuleiro forrado com folha de alumínio ou papel vegetal, com a superfície untada com um pouco de azeite ou óleo.

Só falta colocar no forno a alta temperatura por 20 minutos. Depois viramo-las e assam por mais 10 minutos ou até atingirem uma temperatura interna entre 85 e 95º C.

Não tem nada que saber. Até uma criança pode fazer!

Bem tostadinhas. Suuuuper suculentas e saborosas.

Posso duplicar a receita?

Claro que sim!

Podem duplicar, triplicar ou quadruplicar, desde que aumentem em proporção os restantes ingredientes.

O tempo no forno continuará a ser o mesmo, mas garantam que as perninhas estão apenas numa única camada e com uma ligeira distância entre elas.

Outras receitas com pernas de frango

Tenho várias no site, é fácil de pesquisar, mas aproveito para destacar este ESPECIAL RECEITAS COM PERNAS DE FRANGO, onde estão algumas das minhas favoritas.

SE GOSTARAM DESTA RECEITA