Sabiam que hoje se assinala o Dia Mundial do Polvo?

Dia 8, tal como os 8 tentáculos deste cefalópode que é mais antigo do que os dinossauros.

O polvo faz parte da nossa alimentação e que belas receitas temos em Portugal, por exemplo o afamado Polvo à Lagareiro, com o nosso belo azeite.

Mas hoje trago-vos uma opção diferente e é para todos os que adoram arroz malandrinho.

Eu sou fã e até já partilhei convosco a minha receita de Arroz Malandrinho de Perca que é uma verdadeira delícia.

Malandrinho sim, mas a nadar não, é o meu lema.

No entanto, quem goste de carregar ainda mais no caldo não há problema. A cozinha é assim… adaptamos ao nosso gosto e nenhum é melhor do que outro, quando já sabemos o que é melhor para nós.

E é por pensar assim que opto por enriquecer algumas receitas mais clássicas, como este arroz de polvo. Gosto de fazer umas misturas que podem achar improváveis mas que, já tendo testado noutros pratos, sei que funcionam, como é o caso do Polvo no Forno.

Aqui, além do chouriço também juntei pimento.

Mas atenção. Não querem misturas? Digerem mal o pimento? Não apreciam chouriço? Ou, em último caso, acham que o arroz de polvo só tem de levar polvo? Não há qualquer problema. Deixem o chouriço e o pimento de fora e façam tudo o resto igual. Vai ficar óptimo também.

Para esta receita compro um polvo médio congelado e cozo-o de véspera na panela de pressão sem qualquer água ou sal, apenas com uma cebola pequena com pele, lavada. O polvo vai suar e cozer no seu próprio líquido. Quando o pipo de pressão começa a rodar, conto 15 minutos, desligo o lume e deixo ficar a perder pressão naturalmente até poder retirar a tampa.

No dia, só tenho de cortar o polvo em pedaços e aproveitar o caldo da cozedura, a que junto água suficiente para ficar com 3,5 a 4 vezes mais do que o volume do arroz. Queremos malandrinho, certo?

Quanto ao arroz, desta vez usei o nosso carolino, selando-o com o truque do vinagre que já vos expliquei na dica Como fazer um arroz sempre solto. Só temos de fritar bem o arroz e depois o vinagre ajuda a impedir que ele solte demasiada goma. Este truque também já o tinha usado no maravilhoso Arroz de Pato no Forno.

E pronto, é só isto. Esta é mais uma receita rápida, que fica pronta em cerca de meia hora – sem contar com o tempo da cozedura do polvo – e que certamente irá ser muito apreciada.

Se fizerem digam-me o que acharam… estou sempre curiosa por saber se resultou bem convosco.