Sem gemas, muito cremoso, com bago solto e macio, bem docinho. Uma receita infalível de tradição portuguesa.

Durante muitos anos, o arroz-doce da minha mãe fez as delícias de miúdos e graúdos. Ainda hoje todos guardam essa memória de conforto. Um arroz muito cremoso, com bago macio, docinho, mas não em demasia. No ponto. E era tudo “feito a olho”.

Também eu o fiz assim durante toda a vida, até ter tido a necessidade de fazer pesagens e medições para o poder colocar no meu segundo livro de receitas – A Minha Cozinha II.

A minha mãe sempre dizia que o arroz-doce perfeito era feito com carolino, por ter mais goma.

– “Ouviste filha?” 

– “Sim mãe…”

– “E o açúcar nunca se coze, porque o arroz fica duro. Só juntas no fim depois de retirar do lume, está bem?”

– “Sim mãe…”

E eu na altura a pensar quando é que me safava dali para ir ver televisão.

Outro ensinamento importante que me deixou é que “o arroz-doce deve ser servido à temperatura ambiente”, mesmo que, por força das circunstâncias, tenha de ser guardado no frigorífico. Basta retirá-lo algum tempo antes. Um arroz-doce a uma temperatura muito fria perde no sabor e na textura.

Obrigada por tudo o que me ensinaste, Mãe. Do arroz, da dedicação e trabalho, das coisas boas e más. Da vida.

O que não entendo é como surgiu a moda de juntar pacotes de pudim ao arroz. Sim eu sei… dá cor… mas também fica a saber a pudim!

Quem queira dar cor ao arroz-doce, basta juntar gemas. Nada mais.

Pessoalmente, dispenso as gemas e a cor. Prefiro-o assim branquinho, ao natural, com o sabor suave do limão.

O meu pecadilho final é carregá-lo com canela – adoooooro canela! – a um nível de insanidade que nem eu entendo… mas pronto.

Seja em casamentos, baptizados, Natal, Páscoa, ou em qualquer ocasião, experimentem esta receita e não cortem no leite. Eu sei… parece muito – e é – mas é a dose certa para garantir uma cremosidade extra.

Se duplicarem a receita, dupliquem-na toda. Nomeadamente o leite. 100 gramas de arroz levam um litro de leite. 200 gramas, dois litros, e por aí fora.

O meu recorde é de 10 litros de leite.

Foi em Novembro de 2017, quando aceitei o convite da residência da Cruz Vermelha na Parede, para colaborar num almoço de angariação de fundos.

Fiz este arroz-doce numa cozinha profissional, num tacho gigantesco, comum nas cozinhas profissionais, num fogão industrial com uma chama potente, que até dava gosto.

Um grupo que estava a sair para Fátima ainda passou pela cozinha para me cumprimentar e para saber do ponto do arroz. Ainda ia demorar…

A cozinha era um espaço animado…

E com profissionais de uma simpatia enorme!

No total, fiz um quilo de arroz e 10 litros de leite.

Muita casca de limão e paus de canela.

E um quilo e meio de açúcar!

Foram duas longas horas a mexer o arroz, porque nunca podemos deixá-lo entregue a si próprio. E no final, dezenas de tigelas estavam prontas para receber os comensais.

No caso de fazerem apenas a dose mínima para 4, o tempo é muito menor. Em cerca de meia hora ficam com esta deliciosa sobremesa pronta.

Veja o vídeo desta receita no meu canal

tempo de preparação: 30 minutos
dificuldade: fácil
doses: 4
Sem gemas, muito cremoso, com bago solto e macio, bem docinho. Uma receita infalível de tradição portuguesa.

Arroz-Doce
(Receita da Mãe)

destaque
Sem gemas, muito cremoso, com bago solto e macio, bem docinho. Uma receita infalível de tradição portuguesa.
tempo de preparação: 30 minutos
dificuldade: fácil
doses: 4

Ingredientes:

  • 100 g de arroz carolino 
  • 250 ml de água
  • Pitada de sal
  • 1 litro de leite meio-gordo 
  • 150 g de açúcar 
  • Casquinhas de limão 
  • 1 pau de canela 
  • 1 ou 2 gemas (opcional, para dar cor) 
  • Canela em pó a gosto, para polvilhar

UTENSÍLIOS:

Confecção:

  1. Coloque o leite a aquecer. 
  2. Leve ao lume uma panela média, com a água, a pitada de sal e o arroz.
  3. Quando o arroz absorver toda a água, junte duas conchas de leite quente, para cobrir, mais as casquinhas de limão e o pau de canela.
  4. Mantenha ao lume, sempre a fervilhar e sempre mexendo, em movimentos lentos e circulares. O restante leite continua sempre ao lume, no mínimo, para se manter bem quente.
  5. À medida que o arroz for absorvendo o leite, o creme fique mais denso e a fervura faça bolhas maiores, coloque mais duas conchas de leite. Repita o processo, mexendo sempre, até esgotar todo o leite. No final, terá um creme que pinga como uma lágrima da colher, oferecendo alguma resistência. Nem demasiado líquido, nem demasiado denso.
  6. Desligue o lume, junte o açúcar e mexa até estar bem envolvido. Retire as casquinhas de limão e o pau de canela. 
  7. Se quiser dar cor, desfaça a(s) gema(s) num pouco de leite frio, junte ao creme quente e mexa rapidamente, para incorporar.
  8. Coloque numa taça ou em tacinhas. Deixe arrefecer. Quando arrefecer polvilhe com canela em pó.
  9. Sirva à temperatura ambiente.

Notas:

  • Quando terminar o leite e o creme já tiver a consistência desejada, prove um bago de arroz e garanta que está bem cozido. Se não estiver no ponto, aqueça mais um pouco de leite e mantenha o processo de cozedura até que o interior do bago esteja mesmo macio. 
  • Ao encher as taças o arroz pode parecer demasiado fluido. Não se preocupe. Vai ficar mais denso ao arrefecer.

Outras informações:

66 comentários para “Arroz-Doce <br> (Receita da Mãe)”

  1. Saudações, Clara de Sousa.

    Na data de ontem (10 de junho), eu e minha esposa fizemos sua receita de Arroz Doce. E ficou uma delícia. Cremoso, com o açúcar no ponto. Já tínhamos feito outras receitas de arroz doce, mas esta superou todas. Somos do Brasil, do estado de Minas Gerais, famoso pela culinária caipira. Não temos aqui o arroz carolino, apenas o agulhinha, mas mesmo assim conseguimos um sabor maravilhoso.
    Ontem comemoramos aqui em nossa casa o Dia de Portugal, pois minha esposa tem raízes portuguesas.
    Parabéns pela receita.

    1. Olá Luan. Bela região a sua e com belas receitas! Que bom que gostou. Se conseguir um com mais goma melhor ainda, pode ser um arroz para risotto se conseguir, que é o mais parecido com o nosso carolino. Obrigada!!!

  2. Boa tarde, Clara. Em busca por uma receita o mais genuína possível, esta cativou-me pelo cuidado na confecção. E, de facto, não desiludiu. Este arroz doce ficou muito cremoso e saboroso. Apenas troquei o limão pela laranja, porque não aprecio muito o sabor do limão. Muito obrigado! E parabéns pela profissional que é. Felicidades!

    1. Corroboro que a receita fica maravilhosa mesmo sujeita a alterações, testei com leite de amêndoa e leite de arroz e para quem prefere, necessita ou por escolha ideológica garanto que fica óptimo.

  3. Também eu fazia sempre o arroz doce “a olho”. Mas hoje decidi pesquisar uma receita e em boa hora escolhi a sua. Ficou maravilhoso, para repetir sempre. E também eu o adoro com muita canela. Obrigada.

  4. Olá , bom dia Clara de Sousa.
    Cá em casa todos gostamos muito de Arroz Doce mas sou péssima nisso ( até dá paródia nos comentários 😉 ) mas em Janeiro passado, dei de caras com a sua receita, “cheirou-me ” logo a Arroz Doce . Fiz. Um sucesso, uma delícia. pensei, tenho um tesouro aqui .
    Hoje, Sábado de Aleluia, aqui estou a dar o testemunho desta maravilha de Doce. Vou fazer nesta Páscoa, sem medos, porque vai sair bem.
    Muito obrigada pela partilha Clara de Sousa <3 beijinho e Páscoa Feliz .

  5. Olá Clara! Em casa dos meus pais nunca houve a tradição do arroz doce, pelo que nunca me considerei uma apreciadora. Já o meu irmão adora, pelo que me aventurei na sua receita. Pois bem, este arroz doce convenceu toda a gente que o provou, mesmo quem não se achava apreciador adorou! Obrigada pela partilha.

  6. Uma receita óptima, bem cozido e cremoso como eu gosto! Da próxima (vou voltar a fazer com certeza), vou apenas reduzir um pouco o açúcar. Uma das minhas avós também fazia arroz doce muito bom, mas infelizmente não fiquei com a receita… Adicionar o leite aos poucos e juntar o açúcar apenas no final são daqueles pormenores que fazem a diferença. Amor e paciência são fundamentais para qualquer receita

  7. Parabéns clara!! Descobri a receita de aletria e fiz para o natal. O pessoal adorou. Como resultou e queria fazer arroz doce pela primeira vez fui a procura na sua página. Ainda não tenho os comentários pois será comido logo à noite na
    passagem do ano mas deliciei – me a rapar o tacho. Está delicioso. Recomendo
    Parabéns pelas receitas. Feliz 2019

  8. Bom dia “Clarinha” (nome ternurento que cá em casa utilizamos quando a vimos na televisão “nossa Clarinha”)
    Estando eu a reunir os ingredientes para avançar para a preparação do arroz doce e vejo que o leite que usamos cá em casa é magro…
    Ficará bem o arroz doce com leite magro ou será melhor deixar a receita para outro dia após aquisição de leite meio gordo?
    Aguardo sua resposta
    Beijinhos

    1. Olá Ana, bom dia! Clarinha desde sempre e até ao fim ☺️ eu nunca fiz com leite magro. De qualquer forma não acho que deixe de ficar bom por isso. A goma do carolino deve compensar. Mas se tiver natas em casa, junte um pouco, tipo, 50 ml, para compensar na gordura. Estou a falar de cor. É o que faria nessa situação. Bom domingo!

  9. maria das neves ventura

    Clara , adoro o seu arroz doce e todas as outras suas receitas.
    Tenho os seus livros todos e desde que vi a sua receita que não faço outro.
    Admiro-a bastante. Beijinhos

  10. Adoro as suas receitas, uma das preferidas cá em casa são os torcidos de cerveja
    Amanhã vou já fazer o arroz doce para o jantar. Muito obrigada e um beijinho do tamanho do Mundo

  11. Clara,
    Como eu gosto, solto e beeeeeem cremoso.
    Mãos à obra que seguramente o filho mais velho vai adorar.
    Prometo enviar-lhe fotos das minhas “obras” que são tão SUAS.
    Bjs grandes.

  12. Boa noite e mais uma vez muito obrigada! Desta vez a receita do arroz doce da sua mãe emocionou-me pois é muito parecida com a da minha mãe que sempre fez as delícias da família e que agora sou eu a detentora de tamanha “joia”/memória que já passo aos meus filhos! E, sim…as questões eram iguais:
    “- o arroz doce não se pode deixar sozinho, Ouviste filha?!”
    obrigada Clara de Sousa

    1. Olá Clara 🙂
      Ja tinha provado arroz doce em casa de familiares, hoje fez-se um click na minha cabeça e decidi experimentar.
      Muito agradecida pela receita, foi o arroz doce que mais me soube!

  13. Tal e qual como eu costumo fazer, só não ponho o limão porque cá em casa não gostam. Fica uma delícia.
    Vou experimentar outras receitas.
    Parabéns pelas partilhas.

  14. Olá Clara.
    Sigo a sua página, mas não sei porque não costuma aparecer na minha as suas publicações!!!, tenho que ir lá de propósito quando me lembro e hoje encontrei lá este arroz doce e achei engraçado referir que o açúcar só se pode por no fim, era a conversa da minha avó e tia da aldeia que faziam o melhor arroz doce do mundo e arredores 🙂 com leite fresco de cabra acabado de tirar…. bem uma verdadeira delicia com canela q.b. gemas não se usava, era mesmo branquinho.
    mas nos tempos modernos, uma prima minha deu-me uma receita em que se mete tudo ao mesmo tempo e resulta impecável 🙂 para quem comeu o melhor do mundo até acho aquele bem bom 🙂
    Hoje vou fazer o seu 🙂
    beijinhos

    1. Cininha, quando o FB mudou o algoritmo o que acontece é que se estiver a seguir uma página e não colocar ver primeiro (lá nas opções do A SEGUIR) as publicações vão para o fim, estão lá mas dificilmente as vai ver. A minha sugestão é que, nas páginas que gosta mesmo de acompanhar, mude de PRÉ-DEFINIÇÃO para VER PRIMEIRO. Em relação ao arroz, meter tudo é algo que a mim nem me passa pela cabeça admito que possa sair bem, mas alguma coisa fica a perder porque a cremosidade e a goma, tal como no risoto, só se conseguem a 100% desta forma, tudo o resto são aproximações. Beijinho e obrigada!

      1. Obrigada 🙂
        Fiz o seu arroz ontem, só um litro 🙁 foi muito pouco 🙂 o meu filho hoje queria acabar o resto ao pequeno almoço 😀
        Vou ver essa coisa das definições 🙂
        beijinhos

  15. Olá, queria agradecer lhe pela partilha da receita, fiz hoje para a sobremesa do jantar e pela primeira vez, fiz um arroz doce que ficou cremoso. Obrigada

  16. Acabei de fazer. Parece-me muito liquido. Será que depois de arrefecer fica mais sólido? Quando tiver com a canela, publico foto no Instagram.
    Beijinhos
    Ana Evaristo

    1. Sim Ana não viu o video? É assim mesmo. Se vir pode comparar ☺️ Ele fica mais denso ao arrefecer. Para partilhar será que o pode fazer no FB? Todos os meses eu faço uma publicação com o que os seguidores fizeram e colocava lá a sua foto também.

      1. Boa Noite Clara!
        Com 19 anos sou apaixonada pela cozinha e pela confecção de doces, principalmente os mais tradicionais …❤️
        Hoje lembrei me o quanto gosto de arroz doce e as poucas vezes que como, (se comer 2 vezes por ano, já é muito) e pensei, porque não ser eu a fazer? Pesquisei, e pesquisei… até que apareceu a sua receita! Fiquei muito contente, pois era simples e parecia deliciosa!! Já a fiz e confere, é mesmo deliciosa a sua receita de arroz doce!!
        Estou em pulgas para que os meus familiares provem! Pois já provei, e está maravilhoso!
        Obrigada pela partilha.
        Um beijinho grande!

        1. Que bom Marisa! Veio à receita certa porque é mesmo muito boa, muito cremosa. Agora já sabe 🙂 alguma paciência ao fogão para ter sempre um arroz doce com muita qualidade! Beijinho e obrigada!!

  17. Adoro arroz doce!! faz lembrar o que de melhor tem a nossa cozinha e sobretudo a cozinha das nossas avós! Obrigada pela partilha Clara!! este fim de semana, vou fazer! Um abraço gigante!!

    1. Foi muito divertido 😀 sim faça e siga todos os passos. Leite muito quente, mesmo a fervilhar e sempre a mexer. Arroz aberto em água e sal num tacho destapado. E açúcar depois de apagar o lume. Vai correr bem. Beijinho!

  18. Olá Clara. Poderia ter sido eu a falar deste arroz doce, é assim que eu o faço, também a olho,e cheia de recordações da minha infância,vendo a minha avó,a mexer um tacho de cobre, que me parecia gigante. O dela era sempre muito doce. Hoje ,eu e todos na minha família, não dispensamos está sobremesa tão tradicional e familiar e , claro,sem pudim….

    1. Ah sim, essa do pudim nunca entendi, aquilo só estraga! E as nossas memórias de conforto aquecem o nosso coração enquanto por aqui andarmos. Beijinho.

  19. Olá Clara,
    Realmente esta receita de arroz doce fica uma delicia faço um sucesso sempre que o confeciono,excepto uma vez que juntei duas gemas e ficou um pouco aguado,não voltei a por,agora sempre que o faço é sem gemas.
    Aproveito a oportunidade para lhe dizer que gostei muito de a ver ontem no 5 para a meia noite.
    Teresa Bogalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *