Quando pensamos em peixe frito há um acompanhamento que quase sempre é o favorito: o arroz de tomate.

Seja a petinga ou os jaquinzinhos fritos, sejam uns bons filetes de pescada ou de garoupa, poucas coisas casam tão bem como este arroz acabado de fazer e aromatizado com coentros.

É um acompanhamento muito simples mas, como tenho vindo a aperceber-me de que nem toda a gente se entende com o arroz, e que há também cada vez mais jovens a iniciarem-se na cozinha, decidi mostrar como faço o meu arroz de tomate.

Tomate fresco, de lata ou polpa?

Tomate fresco por favor!

O melhor arroz de tomate faz-se com tomate fresco, a que retiramos a pele, e que depois é picado. É um processo simples, nomeadamente pelá-lo, como podem ver nesta dica: COMO PELAR TOMATES.

No entanto, na falta de tomate fresco, a alternativa é usarem o de lata, mas mesmo só se não tiverem fresco. Polpa é que não. Pode dar muita cor mas não tem o mesmo sabor.

Para dar mais cor, já que os tomates frescos muitas vezes têm um tom mais pálido, junto também um pouco de concentrado de tomate. Não é polpa, é mesmo uma pasta concentrada que se vende em bisnagas e que se encontra facilmente em qualquer supermercado.

Que arroz usar?

Para uma receita de tradição bem portuguesa o arroz mais indicado é o nosso tão saboroso carolino, que com o meu truque do vinagre fica com bago selado, sem espapaçar. No entanto, podem usar outras qualidades de arroz que tenham em casa.

Molhadinho ou Malandrinho?

Pode ser um ou outro.

Esta minha receita é só molhadinho, mas se preferem o arroz malandrinho coloquem mais água. Em vez de 3 vezes o volume do arroz, juntem 4. Se quiserem o arroz mesmo a nadar juntem 5. Só não se esqueçam de adicionar mais sal e provar o caldo. Ninguém quer um arroz insosso.

E é só isto, não há mais nada que saber.

Se gostam muito de arroz vejam outras receitas aqui no site:

Arroz de Grelos – Clássico da cozinha portuguesa, o arroz de grelos fica bem soltinho e macio. É perfeito para servir com peixe frito ou de forno.

Arroz Malandrinho de Polvo com Pimento e Chouriço – O clássico arroz malandrinho de polvo, tão português, é enriquecido com pimento e chouriço, numa conjugação que vai surpreender pela positiva.

Arroz Malandrinho de Perca – Postas de perca congelada são perfeitas para esta receita que me faz recuar no tempo aos sabores da cozinha da minha mãe.

Arroz de Pato no Forno – Uma receita clássica, em versão rápida. O resultado é um arroz muito solto e um sabor que brilha pela simplicidade.

Arroz-Doce (Receita da Mãe) – Sem gemas, muito cremoso, com bago solto e macio, bem docinho. Uma receita infalível de tradição portuguesa.

Espero que gostem e partilhem comigo as vossas dúvidas ou sugestões.